Domingo

Alberto Cohen

Neste imenso deserto de domingo,
quando as pessoas vestem-se de ausência
e antigos passos andam nas calçadas,
o que fazer com todas as lembranças
que foram vida, antes do holocausto
que exterminou amores e esperanças?
Nem chorar, pois do pranto nada resta,
nem sair, pois os portos se acabaram,
nem saber se olhando pela fresta
migalhas do passado estão na porta.

Belém do Pará, 04 de agosto de 2013 – às 16:48 hs

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.