Jeito de Amar
 
Alberto Lisboa Cohen
 
Jeito de amar diferente
de tudo o que foi amado,
cruza de animal e gente,
jogo de pôquer cerrado,
briga de punhal e dente
sem ter o corpo fechado.
Jeito de amar deprimente
de inimigo e adversário,
que se encontrarão somente
no próximo aniversário,
pra esconder, nervosamente,
os esqueletos no armário.