Mensageiro

Alberto Cohen

Cantou-me um passarinho na janela
de manhã cedo, como um mensageiro
de que persiste aquele amor inteiro
de quem se foi de modo inesperado.
E chorei de saudade e de alegria
acreditando nessa fantasia
de que inda vive meu filhinho amado.
Cantou-me novamente o passarinho
e acho que entendi o seu recado:
“Pai eu te amo como antigamente,
pois continuas meu anjo da guarda
embora eu seja um anjo não mais gente”.

 
 
 
 
 
Jpg Pássaros