Mário Quintana e eu

Alberto Cohen

Eu passarinho igual Mário Quintana,
sem pouso certo, num cantar sem rumo.
Eventuais paradas para o fumo.

E bebo mais do que Mário Quintana.
O copo é meu lar, riso, liberdade,
fazendo-me esquecer a minha idade.

Numa coisa, porém, perco pro Mário:
No seu verso tão simples e cuidado.
Como escreve poesia o desgraçado..!

 

.~.~.VOLTAR.~.~.