Releitura de vida

AlbertoCohen

Realmente, voltando passo a passo,
em tentativa inútil, descabida,
verificamos que é quase impossível
a releitura do romance vida.
Letras disformes, frases mal traçadas,
confuso enredo, sem fim nem começo,
a misturar real e imaginário
em que o ficar sozinho foi o preço
de um dossiê de histórias deslembradas
onde um fantasma se mostra e se esconde:
Cabelos loiros ou talvez castanhos,
olhar brilhante ou, quem sabe, opaco,
uma mulher sensível e carinhosa
capaz do amor que não teve tamanho
e da traição que fez do forte um fraco.
O tempo embaralhou certo e errado,
confundindo as lembranças do passado
e possibilitando o inexistente.
Entre a crendice e o duvidar constante
fez-se do apóstolo o maior descrente
dividindo-lhe a alma em dois pedaços.
Como reler? Melhor não reler nada,
deixar a releitura abandonada,
não perseguir vitórias ou fracassos
nas trilhas tortuosas percorridas.
Que o não saber explique o inexplicável
e que os mortos desistam de outras vidas.

 

.~.~.VOLTAR.~.~.