Ruflar de Asas

AlbertoCohen

Era aqui seu espaço permanente
de coletar poemas e carinhos,
fazer um só daqueles dois sozinhos
que não sabiam amar antigamente.
Era aqui seu lugar de olhar a lua,
ouvindo angelicais canções antigas
que suplicavam, cúmplices, mendigas,
pelo milagre que fizesse nua.
Finda a paz que existia, de repente
partiu a procurar numa outra gente
o pouso certo para novo ninho.
E ainda pude vê-la sorridente,
quase a voar e imaginariamente
ruflando asas como um passarinho.

 

.~.~.VOLTAR.~.~.