Semeaduras

AlbertoCohen

Era uma estrada mágica e repleta
de flores que plantavas nos cabelos,
fazendo-te de fada para os zelos
das minhas mãos de fauno e de poeta.
Com imensos cuidados te despia,
a descobrir detalhes novamente,
qual se teu corpo não fosse presente
nos versos de paixão que eu escrevia.
E transbordava o amor num céu de grama
destinada por Deus para ser cama
de originais pecados redimidos.
Jardineiros mais puros e inocentes,
plantávamos ali nossas sementes,
num canteiro de flores e gemidos.

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.