UM BILHETE NA GARRAFA

Alberto Cohen,
colunista - CooJornal

As chances são pequenas, mas decidi arriscar. As palavras que guardo, há tanto tempo, na esperança de um dia dizê-las, foram, afinal, confiadas a esta garrafa que tem a missão de encontrar-te em uma das muitas praias do mundo.
Como saberemos, eu e tu, que elas chegaram ao destino certo? Simples, somente a mulher romântica e curiosa, que ainda acredita em cartas dentro de garrafas jogadas ao mar, é a destinatária e, consequentemente, minha alma gêmea.
Por outro lado, eu sou teu príncipe encantado, pois as escrevi acreditando na possibilidade de serem encontradas por alguém como tu, tão crente e romântico quanto eu.
Tua esperança de ler as palavras de amor que escrevi é tão grande quanto a minha de ser lido por teus olhos.

(06 de dezembro/2013)
CooJornal nº 869

 

.~.~.VOLTAR.~.~.