PARTICIPANTES

 

01 - Ilze Soares
02 - Marcial Salaverry
03 - Humberto - Poeta
04 - Mª Thereza Neves
05 - Heloisa Abrahão
06 - Luiz B. Gonzaga
07 - Naidaterra
08 - Augusta Melo
09 - Dany Burgueira
10 - Antonio Barroso(Tiago)
11 - Lucio Reis
12 - Celito Medeiros
13 - Penhah Castro
14 - J.R.Cônsoli

 

 

 

 

 

Brasil das Impunidades
 
Ilze Soares
 
Um pais tão lindo, de povo alegre e solidário,
tambem sofre com a corrupção,
com a falta geral de educação
e tanta, tanta impunidade!!!
Somos cidadãos de um Brasil de desgraças,
onde a seca ou a enchente avassala.
O descaso das autoridades
de norte a sul, leste a oeste
se faz sempre presente!
As crianças sofrem maus tratos
de pais, estranhos ou parentes...
Hoje, o que mais se fala é pedofilia,
neste pais onde o dinheiro compra a justiça
e é só o pobre que seu erro paga.
Pobres crianças maltratadas,
com a inocência desde cedo roubada,
por muitos injustiçadas,
agora tambem condenadas
a risos de chacotas, maldosos comentários,
são por todos apontadas
e pela Igreja excomungadas!!!
O que temos de bom, em perda se desfaz...
Este povo tão solidário,
de temperamento alegre e cordial,
hoje sofre pela falta de segurança,
desemprego, parcos salarios,
sem direito a saúde e educação,
 chora tambem por suas crianças!

 

 

 

 

BRASIL CONTINUO TE AMANDO

Marcial Salaverry

Para que o céu da liberdade
brilhe de felicidade,
seria necessário haver reciprocidade
no penhor da igualdade...
Esta nossa terra adorada,
sempre tão maltratada
pelos politicos vilipendiada,
pelos dirigentes desprezada...
Podemos enfrentar de peito aberto,
todas as dificuldades, decerto,
apenas precisamos ter por perto
quem possa nos conduzir a um rumo certo...
Este Brasil ainda jovem e imaturo,
foi, é, e será o eterno País do Futuro,
enquanto não surgir um lider puro,
que venha nos tirar deste poço escuro...
Alguém que com Ordem e Progresso,
possa nos encaminhar ao rumo do sucesso...
Alguém que erga da justiça a clava forte,
e possa nos conduzir a uma melhor sorte...
E assim, diremos com voz forte e varonil,
Pátria Amada, Brasil...
Precisamos de Justiça,
praticada
com liberdade, igualdade e fraternidade,
sem favorecimentos a ricos e poderosos,
e mais ainda, a politicos corruptos...
Chega de corrupção nesta Nação...

 

 

 

 

SOU BRASILEIRO!

Humberto - Poeta
 
 
Apesar das roubalheiras e do esbulho
que perpetras, deputado trapaceiro,
inda cultivo em mim, com muito orgulho,
o privilégio de ser brasileiro!

Insólita progênie de demônios,
súcia maldita que o delito ama,
não resta dúvida que os teus neurônios
são feitos de moléculas de lama!

Pobre da mãe que um dia desce o morro,
no colo um filho agasalhado a um trapo,
e não encontra no pronto-socorro
nem mesmo um carretel de esparadrapo!

Conduz pra lá o teu filho, cão sarnento,
se não crês no que dizem minhas frases,
e vê o mal, por teu vil procedimento,
que a este povo desgraçado fazes!

Por culpa inteira das mutretas tuas
o indigente é acoimado de vadio
por vagar, da cidade, pelas ruas,
morto de fome e a tiritar de frio!

Bolsa-transporte, bolsa dos sem-lar,
bolsa que nasce a outra bolsa inconha,
só não se sabe é quando vão criar
a bolsa da decência e da vergonha!

Sem moral, sem amor às coisas nossas,
rendendo culto vil ao deus-dinheiro,
duvido muito que algum dia possas
dizer, assim como eu: “Sou brasileiro”!

 

 

 

 

Chega de só palavras!!!!!
 
Maria Thereza Neves
 
" Não quero choro nem velas "
muito menos fitas amarelas, vermelhas ,confetes
serpentinas, gols ou samba!

Quero meu país
meu Brasil
sem discriminação
aplicando a fraternidade
a igualdade

Quero homens de caráter governando
crianças sadias sorrindo
estudando
comento
amando!

Quero todos trabalhando
tetos abrigando
Paz nos corações
democracia
livre arbítrio
um Brasil bem brasileiro !!!
Nosso !!!!
no sentido exato da palavra!

Não quero choro nem velas
quero um povo participativo
ativo
que lute por direitos
acabe com hipocrisias,falsidades , descalabros
sem aceitação eterna, apática,indiferente!

Não quero choro nem velas
quero o acordar de um povo
uma Pátria merecida
sonhada
construída sem covardia , medos ,indiferenças, apatias !
Chega de só palavras , piadas, fantasias .

JF/1/4/2001

 

 

 

 

DOÍDAS REALIDADES BRASILEIRAS

Sá de Freitas

(Escrito já na nova ortografia)
 
Há revolta que vem sem nós querermos,
Quando vemos famélicas crianças;
Ao sentirmos morrer as esperanças
Numa Pátria melhor para vivermos.
 
Quantos velhos jogados pelas ruas,
Quantos pobres ajoelham-se servis,
Ante os lobos impunes em seus covis,
Com seus roubos, enganos, falcatruas.
 
O povo não reage e tudo aceita,
Enquanto os vis políticos na espreita,
Usam e abusam do poder que tem.
 
E os poucos que lutam contra a escória,
Dão a vida em busca da vitória,
Mas na luta de todos poucos vem.

 

 

 

 

BRASIL DAS IMPUNIDADES
 
O Brasil é um pais maravilhoso!
Rico em todos os sentidos,
Mas somos pobres de:
- Saude
- Educação
- De respeito pelo próximo
- E de exemplos
De pessoas que tem o poder,
Porque nós os elegemos.
Nós os colocamos onde estão...
Pessoas que deveriam honrar
A confiança que depositamos
Em cada um deles...
Porque não é o que falamos que serve de exemplo para ninguem
E sim nossas atitudes...
Mas o que estamos vendo todos os dias
É um Brasil de impunidades
Onde so vencem os mais fortes
E aqueles que se dizem espertos.
Cadê a justiça para todos...
Igualdade para todos...
E direitos respeitados?
É assim que cresce uma nação!
 
Hebe.
26-03-09

 

 

 

 

Brasil das impunidades.
 
Que saudade de um tempo distante,
Onde os valores eram aprendidos em casa.
Ética e respeito, palavras valorizadas.
Que saudades dos pais responsáveis,
Da educação por pai e mãe repassada.
Que saudade das famílias presentes nas escolas.
E agora? Pais ausentes, omissos, permissivos...
Hoje o Professor tem que educar e ensinar...
Educar, e marcar Psicólogo,
Educar, e enviar relatório ao Conselho Tutelar,
Educar, e enviar relatório ao juiz.
Educar, ensinar e se segurar pra não "surtar".
A falta de respeito nas escolas aumenta.
Todo mundo sabe, todo mundo comenta.
Os políticos só querem saber de "se arrumar".
Os Professores que vão se danar.
O povo faz vista grossa,
Professor apanhar em sala de aula virou moda.
Que triste futuro vejo para este país.
Sem educação, sem cultura, sem instrução,
Cada um querendo se dar bem,
Não importando a forma.
Respeito e ética, não enriquecem ninguém.
 
Heloisa Abrahão(SC-16-05-09).

 

 

 

 

BRASIL DAS IMPUNIDADES.

Meu Brasil
Terra querida
Paraíso dos corruptos
Céu das eternas mordomias
Oprimindo o presente e o futuro.

Teus filhos choram
A dor da exclusão
A desigualdade forte
Tombando corações
Nas rimas da historia.

Olhe os políticos
Cordeiros malditos
Roubando a nação
Criando ilusões
Nas almas infelizes.

Brasil, meu pais,
Meu eldorado vivo
Sob os ventos da paz
Injustiça é lema bendito
Na corrupção e impunidade.

Chora a criança abandonada
O velho sofrido aposentado
Vive sem pão sem sonhos e lar
Clamando nas ruas das cidades
Contra a maldita impunidade.

Luiz Gonzaga Bezerra/Luizpoetista.

 

 

 

 

AMO O BRASIL

Naidaterra

Amo, venero e beijo o chão...
Meu país não tem culpa de
ser tão maltratado, roubado e sugado....
Não fosse o poder de alguns que
teimam em liquidá-lo, diria eu
que o Brasil seria o próprio paraíso...
Nosso hino é digno e cheio de
verdades, mas acho que o povo
deveria ir sim, mais a luta...
Batalhar, suar para fazer do nosso
Brasil um verdadeiro paraíso...
Para o Brasil, uma terra benta
e do bem só falta mesmo que os
seus dirigentes o respeite
e cuide dele como uma mãe...
Nada mais que isso...
Sou brasileira e amo o meu País...

 

 

 

 

Brasil das impunidades

Minha pátria é meu povo...
que está orfã, de seus heróis.
Minha pátria seria berço esplêndido
que deveria abrigar suas crianças famintas.
Nesta pátria reina o poder de alguns,
repletos de rica pobreza de valores,
de falta de ética e da falta de boa vontade,
que deveria ser natural aos homens .
Mas ainda pinto de verde minha esperança
em ver minha pátria livre das impunidades,
reinando absoluta nos orgulhosos corações brasileiros.
 
Augusta Melo

 

 

 

 

Brasil das Impunidades
 
Pais de tantas maravilhas,
com um povo pacato e batalhador,
onde os dirigentes,
eleitos para cuidarem do povo,
esquecem disso assim que se elegem
e só pensam em seus interesses.
Políticos corruptos,
gozando da impunidade parlamentar,
se deixam contaminar
e fecham os olhos a todas barbáries
que possam acontecer.
Aposentados são lesados,
crianças prejudicadas
pela falta de saúde e de educação.
Transportes, segurança publica...
Isso faz parte do pacote?
Eles acham que não
e portanto não dão a menor atenção!
Brasil! Terra por Deus abençoada,
que eu amo de paixão,
é por seus dirigentes abandonada,
traida, roubada!...
 
Dany Burgueira

 

 

 

 

Impunidades

Tenho pena, realmente,
da vossa governação,
aqui, tudo é diferente,
governo não é ladrão.
Ladra é aquela mulher
que se meteu em sarilho,
cumpre a pena, se puder,
roubou leite para o filho.
Matador sai, num instante,
que nossa lei tem ciência,
mesmo apanhado em flagrante,
presume sempre inocência.
Quanto ao banqueiro abastado
que tem contas no estrangeiro,
teve apenas o cuidado
de salvar nosso dinheiro.
Se ouvir falar de suborno,
diz alguém, que tanto estimo:
- Não vejo a ponta dum corno,
quem recebe é o meu primo.
Nas finanças, o ministro,
homem de quem muito gosto,
com o seu ar tão sinistro,
cada dia, novo imposto.
E se o estado tudo vende
sem uma base verdadeira,
não terá juros, mas rende
numa qualquer algibeira.
Se o político trabalha
em prol da comunidade,
está coberto, Deus nos valha,
pela capa da imunidade.
E, em paga de tanto esforço,
serve oito anos - que delícia -
p'ra receber, sem remorso,
uma pensão vitalícia.
Na pedofilia, então,
nunca ninguém é culposo,
muda-se a legislação
p'ra absolver o criminoso.
E com leis tão avançadas,
inda temos esperanças
de vermos ser condenadas
as culpadas das crianças.
Com promessas estudadas,
ministro não é sisudo,
mas a perguntas ousadas,
entra calado e sai mudo.
Robin dos Bosques, tão nobre,
generoso e justiceiro,
aqui só roubava o pobre
p'ra dar a quem tem dinheiro.
Meus amigos, afinal
eu só quero ser coerente,
porque no meu Portugal
tudo é muito diferente!

António Barroso (Tiago)

 

 

 

 

Brasil da Impunidade

Faz-nos chorar de tristeza essa nojenta realidade
Há uma intenção proposital de manter essa verdade
Os primeiros a cometer deslizes, estão no primeiro escalão
Os maus, péssimos exemplos descem em avalanche
E nos são servidos como um barato lanche, mas de carvão
Em todo jornal e revista todo dia em manchete
No erário já não há espaço para tanta mão
Nele metida sem pudor e nem temor
As faces nem ficam rubras, já não mudam de cor
Os desacertos passaram a normalidade
Todos sabem, as leis não serão aplicadas, só a impunidade
Eles ficam cada vez mais ricos, os pobres cada vez mais miseráveis
Que situações concretas e mais que lastimaveis
Mas o povo não quer aprender, prefere continuar a sofrer
Espere um pouco e tudo outra vez vamos ver
Vem aí as urnas e massa na rua, para os curruptos aplaudir 
Deixando-se enganar, acreditando que algo eles vão dividir
E assim passa ano, passa década e até século e a desgraça?
Essa não passa e nem termina, mesmo tendo muita idade
Pois somos o Brasil, querida Nação mas, da impunidade
Do homem público bandido e logo, sem honestidade.

Lúcio Reis
Belém do Pará
02/09/09

 

 

 

 

Este Brasil não é minha cara

Celito Medeiros

Um país que todo mundo gosta
Mas no comando destes fulanos
Parecendo mais ser bela bosta
Ter que suportar estes tiranos

Festa pobre só em nosso curral
Além daqui pode ter muito ouro
Seja o amarelo, preto ou do sal
Neste país não vemos tal tesouro

Ser um pilantra já virou até moda
Onde se enfiou nosso povo heróico
O retumbante à safadeza desta foda

Tenho vergonha deste time folclórico
Percebendo tudo isto que me incomoda
Não mandar à merda por ser patriótico.

 

 

 

 

INVERSÃO DE VALORES

by Penhah Castro

Hoje eu choro de tristezas
ao ver cair por terra
toda a beleza
de uma educação recebida...
Onde lições maravilhosas
foram aprendidas...
Aprendi a me respeitar
e, respeitar o outro...
HOJE A LIÇÃO É PASSAR POR CIMA
DE TUDO E DE TODOS...
Aprendi a construir minha vida
com tijolos de aprendizagem
e, nunca fugir dos desafios...
HOJE A LIÇÃO É MALANDRAGEM
È ENGANAR... É LUDIBRIAR...
Aprendi a sonhar de noite
para de dia trabalhar e alcançar...
HOJE O VERBO CONJUGADO É ROUBAR...
Aprendi a me amar e, amar ao próximo
igual a mim mesmo...
HOJE O LEMA É AMOR AO DINHEIRO,
AO PODER,
COM FORMAÇÃO DE QUADRILHA...
Aprendi o que é certo e o que é errado,
de acordo com minha consciência,
e, a anuidade da minha responsabilidade...
HOJE ISTO MUDOU...
O CERTO VIROU ERRADO...
CORRUPÇÃO NÃO TEM PUNIÇÃO...
INOCENTE É O LADRÃO...
O ROUBADO É UM BOBÃO...
Gente uma coisa é constatar...
A outra é procurar MUDAR...
Precisamos lutar para alcançar
tudo que por direito merecemos...
Quando ao governo devemos
somos lapidados de todos os nossos bens...
E, QUANDO O GOVERNO NOS DEVE?
Quem defende nossos direitos?
Não posso viver sob esta inversão de valores...
Vou criar um mundo para mim
onde posso viver feliz enfim...
Vamos todos ser um melhor VOCÊ!
E, um lindo mundo conhecer...

 

 

 

 

Catarse

J.R.Cônsoli

O político disse que desdisse o dito, falou sobre nadas, pensando no tudos (sic), comprou emoções na esquina, pagou com fundos públicos, e escafedeu-se...
balançou o galho da roseira e saiu, deixando no ar um cheiro corrupto.
Como é mesmo o nome dele? Já sabíamos do fato, quem não sabia? O estouro foi grande, a manobra arriscada, o dinheiro saiu, partiu, sumiu, ninguém viu.
Mas o povo é bonzinho... sempre paga a conta... resignado, resignado!
Por que as nuvens passam sem deixar rastros? Por que a formiga trabalha e a cigarra canta?
Responda-me... do contrário faço-lhe presidente do Banco do Brasil, ou lhe coloco Ministro. Historinha vulgar essa, nada diferente daquelas que estamos acostumados a ver diariamente na telinha, né? - Prantos ou gargalhadas? - Tanto faz, a tragédia é sempre a mesma... os palhaços começam sorrindo e sempre acabam chorando. Não me lembro mais dos versos do poeta sobre a madrugada fria! Será que foram palavras quentes ou só mornas divagações que o tempo esfria? Palavras ditas no escuro parecem ter mais vida, pelo menos são mais férteis, ou fúteis, ou serão mais fartas e fáceis? Quem disse que o sol não brilhará amanhã? - Opa!... não me diga uma coisa dessas, como é que eu vou secar minhas roupas? Aquele deputado já aprontou mais uma, hem? Quero ver como ele vai se safar dessa, ah... se quero! Acho que não tem saída não sô, só entrada... pelas portas de uma bela pizzaria com direito a vinhos importados, pagos com o dinheiro dos contribuintes. Safa! eles estão ai de novo, prontos pra outras... Cervejas geladas, gelo rodando no copo, e a mesma pinga debaixo do balcão, né? Pra não dar na cara!
Eles quase sempre não dão na cara... Mas sempre acertam a cara do povo que está
anestesiada desde a República. A bola rolou no fim de semana, o povo continua dançando, e o filósofo continua não fazendo a barba; ou é a barba que não faz o filósofo? O rio corre pro mar, e o mar corre pra onde? - Qui o quê rapaz!... O mar é brasileiro, o mar não
 corre, descansa nas praias... toma sol e namora a areia. - O quê!... Não vejo nada de engraçado, engraçada é a vovó, que anda de bicicleta com a sombrinha aberta e trepa nos tamancos todo dia, porque morre de saudades do vovô, ora essa! O dia se foi mais uma vez, as notícias continuam as mesmas - alguns morreram no tráfego, muitos morreram do tráfico, outros de morte morrida, e muitos... muitos de morte matada. As drogas correram soltas na festa dos peões do povo... Uns ficaram até o dia amanhecer, outros tiraram o peso da consciência e foram dormir de cabeça vazia e de rabo cheio. Mas a consciência é um bicho
 danado sô, mesmo sem peso continua beliscando e não deixa ninguém dormir em paz.
 Festa de políticos é assim mesmo, sempre acaba em pesadelo para o povo e em (real)lidades pra eles. Olha aquele ali! Tentando manter-se em cima de um tronco seco, veja como ele usa as esporas! Está treinando pra montar no povo, ou será no polvo, acho que é pra cavalgar o povo e andar de Volvo. Pessoas passam na rua balançando sacolas brancas, bandeiras
descoradas, vazias... Cadê o verde-amarelo? E o azul, quede? Borraram as cores que escorreram pelo chão se misturando com o barro das sarjetas. - Onde estão os comandantes do mundo, os bonecos robotizados, teleguiados pelo Império? - Ah... já sei, tratando
 das mesmas manobras seculares, a arte da enganação, discutindo o tamanho dos buracos da peneira com que tapam o sol, né não? Atrás da fumaça brilha o fogo dos canhões, choram crianças e mães desesperadas cobertas de areia e pó.
Enquanto isso os Presidentes ficam, justificam, mistificam, ferem e, ah sim!... Defecam.

 

 

 

 


EDIÇÃO MARA PONTES©

.~.~.VOLTAR.~.~.