PARTICIPANTES

 

01 - Ilze Soares
02 - Fátima Moreira
03 - Fernando Reis Costa
04 - Celito Mdeiros
05 - Antonio B. Pinheiro
06 - Sá de Freitas
07 - Lucio Reis
08 - Helena Luna
09 - Celito Medeiros
10 - Antono B. Pinheiro
11 - Vanderli Medeiros
12 - Ilze Catunda13 - Cida Micossi
14 - Wilton Reis
15 - Humberto - Poeta
16 - Eugenio de Sá
17 - Terê Penhabe
18 - Luiz G. Bezerra

19 - Rute Seubert
20 - Dilma Suero
21 - Marcial Salaverry
22 - Antonio Barroso (Tiago)
23 - Sueli do Espírito Santo
24 - Joaquim Marques
25 - Samuel F.de Oliveira
26 - Luiz Poeta
27 - Mifori
28 - Susana Custódio
29 - Beki Bassan
30 - Zeca Feliz Avelar
31 - Gilson F.Maia
32 - Rosenna
33 - Rita de Cássia Rocha
34 - Dilma Suero
35 - Luiza Porto
36 - Maria Tomasia
37 - Daria Farion

 

 

 

MÃE TERRA

Ilze Soares


Mãe terra, de cujo ventre brotam sonhos,
água límpida, corrente, e todas as sementes...
Em teu seio geras vidas!
Terra de tantos encantos, de lugares e seres fascinantes,
tambem geras filhos cruéis com os próprios semelhantes!
Terra de paisagens exuberantes, de animais maravilhosos...
Por que não podemos ser todos amistosos?
Terra de tantas calamidades provocadas pela gente...
Terra encharcada de sangues inocentes!
Até quando aguentarás a nossa agressividade?
O que deixaremos de ti para os que virão?
O que restará deste chão?
Um planeta destroçado ou ainda capaz de gerar a semente
da vida, do fruto e da flor,
onde poderemos viver em fraternidade?
Aqui nasci, aqui morrerei.
Em teu solo, meu corpo estará permanentemente.

Mãe terra, eu te amo e sempre amarei!

 

 

 

 

Terra, planeta abençoado

Fátima Moreira

Queria que meus braços fossem de vento
e dar um grande e carinhoso abraço
neste planeta querido...
Tão bonito... planeta azul...
Queria ser chuva mansa,
apagar o fogo que te causa dor,
beijar-te o chão, semeando amor...
Queria ser riacho a correr teus caminhos,
trazendo lembranças de outros caminhos.
Ser água morna a te aconchegar...
Abençoado lugar de tarefas,
seu solo, a ninguém negas...
Tanto ao verme, quanto ao humano...
É iluminado,
por luz que não é sua...
Mas tens o sol e tens a lua,
presentes abençoados, de Deus,
que ilumina a ti e nós, filhos seus.
Ah! Terra querida!
Agradeço o pouso que me destes nessa vida.
E quem sabe quantas vezes ainda vou voltar...
Volto sorrindo...
E sempre agradecendo, mesmo sofrendo,
por cumprir meus resgates
em tão lindo e abençoado lugar...

 

 

 

 


MÃE NATUREZA

Fernando Reis Costa

Ó estirpes que se extinguem da beleza
Que a mãe Natureza ao homem deu!
Vemos hoje que a própria Natureza
Está quase destruída e se perdeu!
E o homem, ambicioso e com frieza,
Quer mais e muito mais em cada dia:
Destrói cada vez mais esta beleza
Buscando tostões na tecnologia!
Lembremos a paisagem, outrora linda!
Hoje… terra de cinzas, tão queimada;
No ar... o oxigénio quase finda…
E se a destruição continuar ainda
No ritmo que leva, acelerada…
Do homem-suicida fica... nada!

 

 

 

 

Eco logo em dia

Celito Medeiros

Muitos escrevem ou falam
Versões do meio ambiente
Tantas coisas que propalam
Confusas para muita gente

Os estudos ja apresentados
Carecem das comprovações
Não engolimos muitos dados
Sendo pobres nas exatidões

Na mídia e projetos rentáveis
A palavra de ordem é Ecologia
As ações quase insustentáveis

Assunto que a todos contagia
Os modelos serão renováveis
Mas a verdade chegará o dia

 

 

 

 

Esperança

Antonio Boavida Pinheiro

O mundo está de todo conturbado...
São cheias, tempestades, furacões,
Catástrofes, tsunamis e tornados,
O degelo, os sismos e os vulcões.

Desgraça e miséria, por todo o lado,
Ele são guerras, doenças, convulsões,
O próprio ambiente está alterado,
Espécies estão em risco de extinções.

É pois neste cenário apocalíptico,
Que ressurge a confiança quase mítica,
Duma esperança de vida envolta em Luz...

Ao relembrar da chegada de Alguém,
Que nasceu há dois mil anos em Belém,
E que todos conhecem, é Jesus...

 

 

 

 

INCÊNDIO NA FLORESTA

Sá de Freitas

Começa a chama tênue e cresce lentamente,
Se alastra na folhagem e louca, crepitante
Aumenta e a Fauna vai sem rumo e ofegante,
Sentindo a morte vir inesperadamente.

Nada pode deter o monstro incandescente,
Que prossegue implacável, indômito, alarmante,
Deixando apenas cinzas num tapete ardente,
Onde outrora se erguia a mata deslumbrante.

Tem-se a clara impressão que a Natureza chora,
Por sua rara fauna e exuberante flora,
Pelas fontes que secam, pelo ar que some...

Tudo porque em nossa sórdida incoerência,
Não vemos que, devido a nossa inconsequência,
Vamos morrer de sede, de calor, de fome.

 

 

 

 

Mãe Terra

O homem a cada minuto é matricida
Lentamente extermina a fonte da vida
Amputa-lhe a cabeleira despenteada e verde
De onde exala o perfume da clorofila
E que com o oxigenio floresce o viver
Desobediente como um filho insano
Surdo não lhe ouve cada reclamo
Abafado pelo ruido ensurdecedor da motoserra
Desvirginando a densa e molhada selva
Arrasta seus, caules cadaveres acorrentados
Em busca e troca da e pela moeda vil
Olhos vendados pela ganancia estupida
Não ve e nem enxerga que um deserto virá
Substituir a vegetação do respirar
Pelo arido, desértico e exterminador ar
Onde não há vez e nem lugar
Para um fio de correnteza ou lagoa ao luar
Talvez assim e até por isso, podemos imaginar
Que hoje o homem viaje a marte e vá a lua
Ou a outro lugar, loucamente a procurar
Tentando encontrar novo espaço para morar
Pois instintivamente desde já, pode deduzir
Como os elefantes que sabem onde água encontar
Que na mãe terra não será possivel subsistir
Com a garganta rouca de louco socorro a pedir
E nem conta gota de água em dose para engolir

Lúcio Reis
15/11/09-12:45

 

 

 

 

TERRA MINHA (Indriso)

Terra amada, sempre linda,
de uma beleza infinda,
que me alimenta e abraça.

A floresta verdejante
é paisagem fascinante,
cheia de encanto, de graça.

Terra sempre benfazeja.
Que Deus te ampare e proteja.

Helena Luna

 

 

 

 

Grito pela natureza

Celito Medeiros

Dando nosso grito
não estamos a sós
mostrar o caminho
daqui ao infinito...
é só parar um pouco
olhar em volta a tudo
não nos tratem de loucos
não podemos ficar mudos
quanta gente disse o mesmo
mas ninguém presta atenção
depois ficam todos a esmo
só restará nossa solidão
oh! natureza manifesta
teu grito pela floresta
pelos mares do além
chame mais alguém!
sim, animais aqueles
que não se tocam logo
depois de todos os males
só restará o triste epílogo
ajudem, plantem uma árvore
dê algum suporte à natureza
ela agradecerá com certeza
cada pequeno gesto ou grito
ela sempre tem muito juízo
aproveitem este breve aviso
união para evitar sua morte!

 

 

 

 

«Amar os animais...»

Amar os animais é um sentimento
De amor, de compaixão e de respeito,
Não basta assegurar o alimento,
Carecem de atenção de qualquer jeito.

São seres que também sentem sofrimento
Se forem tratados com desrespeito,
Com ódio, desamor ou desalento,
Só querem ser amados a preceito.

Porque amigos do Homem eles são,
Apesar de todo o mal que causou
De espécies em vias de extinção...

Poderemos estar a tempo de evitar,
O que há muito o limite ultrapassou,
Para o «planeta azul», ainda salvar...

António Boavida Pinheiro

 

 

 

 

Mãe Terra

Vanderli Medeiros

Louvo-te mãe Terra
pelo alimento que sai de teu ninho,
pela água que brota de ti,
cristalina e mansinha,
pelos frutos da mata
que alimenta nossos animais,
pela chuva, pelo sol,
pelo dia que nasce,
pela noite estrelada,
pela lua confidente,
por nos propiciar em ti fazer morada
louvo-te mãe Terra
pelo abrigo que nos dá,
pela oportunidade de aqui nascer,
por muitas vidas mais aqui quero voltar!

 

 

 

 

Natureza - Nossa Mãe Floresta

Ilze Catunda

Ao gemido das águas
Nas pedras a rolar,
É uma prova bem viva,
Que a natureza tambem
Tem sua hora de chorar.

Feita sobre os estragos da natureza do nosso
Rincão pátrio, qualquer semelhança será mera
Coincidência ou fruto da imaginação.

Fortaleza-CE, 15/11/09

 

 

 

 

ECOLOGIA

Cida Micossi

Na terra que nos fecundou,
a principio era só Paz:
ouvia-se os cantar dos pássaros,
o som dos animais,
as folhas das árvores ao vento,
a chuva caindo serenamente
alimentando as plantações.
O homem primitivo,
essa terra respeitava
e com sua sabedoria
da Mãe-Terra só tirava
para sua sobrevivência.
Mas o progresso chegou:
Máquinas, se inventou
A natureza se violou
Então a Mãe-Terra chorou.
Com tanta fumaça, com tanta extração
Suas águas límpidas, turvas ficaram
Suas entranhas, contaminadas
E sua fertilidade comprometida.
É preciso se unir em favor das crianças indefesas que aí estão
para continuar a espécie,
por elas, por todos os humanos e também pelos animais,
pratique-se o amor e a paz.

 

 

 

 

S.O.S Natureza

A natureza pede socorro
Por causa da destruíção
A ganância do homem
É o motivo de tal ação
Os mananciais estão secando,
O ar está poluído,
Se não houver providências
O mundo fica perdido.

As florestas são devastadas
Por constantes queimadas,
Deixando várias espécies
Totalmente ameaçadas.
A planta, o único ser produtor,
Que fabrica seu próprio alimento,
Necessita de ar, luz e calor;
Solo fértil e muita chuva.

Sem as plantas não há vida,
Pois delas dependem todos os animais;
Morrendo todas as plantas,
Morreremos todos nós.

O homem precisa aprender,
Que a destruíção não é progresso,
Que destruindo a natureza,
Fica fadado ao insucesso.
Que haja compreensão
Por esse mundo inteiro,
Que riqueza não é tudo,
Porque não se come dinheiro.

Acabando a ganância,
Cuidando da natureza,
Evitando o desperdício,
Teremos muita fartura
E igualdade social
Para a geração futura.
Disto, tenho plena certeza.

Wilton Reis,

Conquista, 21.09.2008

 

 

 

 

PREITO Á NATUREZA

Humberto Rodrigues Neto

Ah... Natureza! Que cruel regime
te impõe o homem, perdulário e ateu!
Agride fauna e flora, alheio ao crime
de estragar o que Deus nos concedeu!

O ar, o sol, o azul que esmalta o espaço,
o homem faz réus de equívocos critérios;
enche os céus desse trágico bagaço
de pós mortais e gases deletérios!

Quando se rouba à mata a ave inocente
e polui- se a mercúrio a água dos rios,
é nessas horas que o Senhor pressente
o quanto somos maus e somos frios!

Da árvore que estala, vindo ao chão,
evola-se um lamento ao infinito,
mas não o ouve o autor da infanda ação,
pois só Deus é capaz de ouvir tal grito!

Natureza: viemos de outras plagas
pra crescer nos reencarnes sucessivos,
mas te enchemos de pústulas e chagas,
inda presos a instintos primitivos!

Falhos que somos desde os cromossomos,
de nós tirai, Senhor, machado e serra;
lembrai- nos que, afinal, nada mais somos
que meros forasteiros sobre a Terra!

 

 

 

 

Terra mãe

Eugénio de Sá

Que orgulho, terra mãe, de haver nascido
Entre estas ancestrais, nobres entranhas
E quanto é bom em ti haver vivido
Todos meus fados e gestas tamanhas

Podem não entender minha razão
Pra bendizer os dias que aqui estou
Mas tu sabes que a minha ambição
Ao teu ventre de mãe se confiou

Em ti receberás o meu despojo
Que ao teu seio materno tornará
E se irá misturar com mato e tojo

Mas enquanto este corpo inda cá está
Permite o voto que deixo, com arrojo;
Que vivifique o que em breve não há !

 

 

 

 

Planeta Terra

Tere Penhabe

Planeta Terra... é cedo para o adeus...
Tarde demais talvez, para salvá-lo.
Mas se você não sabe e eu não sei,
e vemos poderosos discutindo,
será que não podemos só tentar?

A nossa parte é fácil de fazer...
Começa com respeito à natureza,
que em sua realeza é destrutível,
e abandonada à mercê da sorte,
já não demora para perecer.

Sem ar... sem água... como há de ser?
Decerto não será. Nós morreremos!
De forma hedionda, sem razão,
sendo abatidos pelo que fizemos...

Eu vejo a Terra quase a agonizar,
contaminada pela rebeldia,
pelo egoísmo, que no humano impera
que vem de longe, de longíquas eras,
e me pergunto: O que posso mudar?

Minha janela mostra o desmantelo,
de um povo irracional, sem qualquer zelo..
E tento ouvir triste canção do mar,
que cantam suas vagas a chorar...

O seu abraço, ele estende à Terra,
e solidários, preveem o fim,
inconformados e sem compreenderem,
que fez o homem pra acabar assim?!

Santos, 22.02.2007
www.amoremversoeprosa.com

 

 

 

 

MÃE TERRA...

Agradeço-te pelos muitos tapetes
Espalhados em todos os continentes
Amealhados de cores e segredos
Alimentando a vida da gente.
Lamento mãe terra
Pelo descaso da sociedade
Dos sentimentos perversos
No peito do homem guardado.
Destroem as matas os rios
Queimam as florestas perfumadas
Não ouve da natureza o grito
De socorro no ar grafado.
Ó mãe é belo teu cântico
De abundancia em prol da humanidade
Pedes socorro és contra a ganância
Dos nascidos e vivendo em teus braços.
Haure teu clamor por todos os recantos
É vital que sejas ouvida em teu suspirar
Para continuares a cultivar na terra o pão
Das futuras gerações de quer vão chegar.

LUIZ GONZAGA BEZERRA

 

 

 

 

Planeta Terra

Quanta dor ó querida mãe terra
ao ver teu seio ferido pelas garras de
homens insanos.
Tuas lágrimas já correm sem forças, pelos rios hora cansados, pelo sofrego descuido de teus filhos amados, tudo nos das desde o mais abastado ao mais infeliz e nada recebes, a não ser os duros golpes e açoites a te lanharem as entranhas sem dó nem piedade.
Ouço teu gemido de dor pedindo socorro mas... a insanidade humana é incapaz de ouvirte o clamor.
Até quando terremos seres vivos sobre teu seio já quase sem vida? Só vimos feridas, umas totalmente incuráveis outras que nos dão uma pequena esperança de refazimento.
A ti meu Deus rogo-te a conciência do homem enquanto é tempo.

Rute Seubert

 

 

 

 

Mãe Terra

(Dilma Suero)

Mãe terra em teu seio encerras
toda o porvir da vida, da natureza sentida
com a destruição infinda que o homem
só por maldade a ti ofende e destrói.
Mãe terra agonizas nas seivas
das árvores arrancadas, dos frutos
que abortaram sem nenhuma necessidade.
Mãe terra és bela, opulenta, formosa
tens árvores tão frondosas
que às suas sombras se abrigam
´pássaros, animais ferozes e mesmo assim...
proteges teus algozes.
Mãe terra és filha do Criador
que nos deu todo o esplendor
da natureza, dos seres e mesmo assim
os humanos não te respeitam nem amam
mas tenho fé que um dia esse quadro se reverta
e sejas a mãe protegida em vez
de mãe protetora.

 

 

 

 

ESTE NOSSO PLANETA

Marcial Salaverry

Este nosso pobre Planeta,
sofre demais nas mãos
do inconsciente Bicho Homem...
É tão bela a Natureza,
e vem o homem com sua sanha,
e estraga a sua beleza...
É tão lindo, tão acolhedor nosso mar...
Porque o homem insiste em o maltratar,
poluindo-o com as coisas que nele despeja?
As florestas são devastadas,
com constantes queimadas...
As árvores impiedosamente derrubadas,
sem serem replantadas...
Florestas já quase não existem...
Tirando os animais silvestres,
das matas, que é seu lugar,
os homens só pensam em os engaiolar...
Animais presos em jaulas no Zoológico,
não me parece nada lógico...
Experimentem enjaular-se, numa prisão...
Como ficará seu coração?
O mar... quando verde... lindo demais...
Como é triste vê-lo com manchas negras colossais...
E como a terra fica devastada
após uma queimada...
Por vezes, a Natureza se revolta, se rebela...
E quando zangada se revela,
explode sua ira em maremotos... tornados,
que deixam os homens desesperados...
Um vulcão, quando entra em erupção,
é porque a terra já se cansou de tanta poluição,
e se rebela... mostra como está triste seu coração...
Após promover queimadas, que deixam uma triste aridez,
o homem se queixa de que terra está seca, esquece o que fez...
Desastres ecológicos...
não são nada lógicos...
Vamos respeitar a Natureza,
cuidando de sua beleza...
Vamos manter a terra bem cuidada,
afinal, será nossa última morada...
É preciso preservar a vida neste nosso Planeta...

 

 

 

 

Mãe terra

Mãe terra deu à luz farta comida
Com parto abençoado pelo Senhor,
Fez crescer a seara, com amor,
E com graças à chuva aparecida.

Mãe terra pede, ao homem, comovida:
- Não estragues torrões, eles são teus,
Toma-los como dádiva de Deus,
Para deles tirares o pão da vida.

Mãe terra roga à brisa, em segredo,
Que transporte flores entre arvoredo,
Mais ao sol que abençoe essa união.

Mãe terra já, por fim, nada mais diz
E dá-se, com prazer, fica feliz
Por estar presente na comunhão.

António Barroso (Tiago)

 

 

 

 

MÃE TERRA

Sueli do Espírito Santo

Mãe terra, dedicada, laboriosa
pela natureza, bela e formosa
benévola, fertiliza as sementes
para colhermos os seus frutos
de graça, sem quaisquer tributos
alimenta todos os seres viventes

Mãe terra, tem tanto a oferecer
e muitos não sabem agradecer.

http://www.sue2001.recantodasletras.com.br

 

 

A TERRA É UM VIVEIRO !

Adriano Augusto da Costa Filho

O Planeta Terra é um viveiro,
Um Zoológico do Universo inteiro.
Por alienígenas ele foi criado
E por ordem Divina comandado !

Bilhões de seres habitam nele,
Não há como em vida duvidar dele.
Todos somos crias experimentais,
Somos experiências fundamentais !

Como dentro de um laboratório,
Cientistas trabalham com um horário,
As doenças são muito importantes
E somos sempre levados a testes !

Como ratos, somos sacrificados,
Sem dó, nas tumbas somos jogados.
Estamos presos dentro de um cercado,
Por cima, por baixo e por todo lado !

A bilhões de séculos somos renovados,
Para experiências e ficamos aterrados.
Nunca soubemos de onde viemos
E nunca saberemos para onde vamos !

Como num zoológico somos fiscalizados,
Muitas vezes somos também abandonados.
Pensamos que somos seres felizes,
Mas, na realidade somos incapazes !

Nada de concreto nos é revelado,
Simplesmente todo ser aqui é jogado.
Vivemos como podemos,há todos momentos,
Porque para eles somos seres horrendos !

Milhares falecem, em todos instantes
E as poucos os que ficam viram mutantes.
A evolução é uma forma de enganação,
Para acalmar o nosso pobre coração !

Trilhões de séculos irão se passar,
E por aqui eles nem nos vêm olhar.
Vivemos um punhado de anos,
Pequenos tempos só em desenganos !

Já nos enganam, o Céu nos mostrando,
E na realidade para o inferno nos enviando.
Com certeza criam pequenas fantasias,
Para acalmar o coração de suas crias !

 

 

Mãe, Donzela e Anciã

A TERRA

Naidaterra

Houve um tempo que a raça humana,
valorizava a lua e as estações do ano
como se fossem a continuidade
de suas próprias vidas...
E, de fato era...
A lua, perfeita guia e um calendário
exemplar que nunca falhava...
Assim, o tempo era contado e,
de criança a moça, a donzela
era a alegria primaveril, o encantamento
das cores e dos sonhos...
O sangramento da donzela a tornava
fértil e mãe, e assim, a colheita era
abundante no seu devido tempo...
Mãe, doadora, protetora e cheia de compaixão,
contava com a lua e as estações para sobreviver
ao calor, ao frio, a fome e as sombras...
E, neste movimento em que o tempo
não para, a mãe terra chega à velhice,
uma anciã sábia que prepara e ensina
aos novos de sua tribo, que a natureza
é divina e, que a humanidade deve
respeitá-la para haver vida entre
as nações para se dar continuidade
ao ciclo da vida, morte e renascimento...

 

 

A natureza chora

Candy Saad

A natureza chora
as profundezas da terra
entram em ebulição
Mares invadem a terra
destroem sonhos
Afligem corações
Vidas despedaçadas
Desestruturam a nação
Perdoa Senhor!
Ouve o choro dos inocentes
Livra essa gente
Da incerteza
De viver no solo amado
Com o coração em paz...
Ouve Pai
O clamor desses irmãos.

(Aos irmãos que sofreram no terremoto no Japão)

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T2851880

 

 

ESTE PLANETA É NOSSO

Eri Paiva

Fruto da suprema inteligência
Exuberante, dadivoso, lindo,
Feito para a nossa permanência
Com todas as condições dele provindo
Para a nossa felicidade e perfeição...
Este Planeta é nosso,
É nossa Terra, nossa casa, nosso chão!

Deus, o Criador, aprontou,
Fez o básico, o fundamental!
Criou as águas, algumas represou;
Criou as matas de exuberância sem igual;
Criou os animais numa diversidade infinda;
Providenciou calor, luz em profusão;
Não esqueceu o ar que nos anima...
Este Planeta é nosso,
É nossa Terra, nossa casa, nosso chão!

Em tudo o Criador se esmerou,
Em tudo pôs beleza, pureza cristalina
E ao homem e à mulher entregou
A sua fantástica obra prima!
Lhes enriqueceu de talento e aptidão
E "dominai" foi Dele a recomendação...
Então, este Planeta é nosso
É nossa Terra, nossa casa, nosso chão!

Mas ao termo dominai,
É preciso que lhe dê uma interpretação.
Dominar, entendo que, não é o mesmo que fazer
Aquilo que nos apraz ou o que na telha nos der,
Para nosso deleite e prazer...
Tem outro significado, ou modo de entender.
Dominar é ter poder, mas o poder de fazer
Multiplicar e crescer, todo Bem que a terra tem
E tudo que do planeta provém!
Dominar é o poder de completar,
Com responsabilidade e amor a obra da criação...
Então, cuidemos do nosso Planeta
Ele é a nossa Terra, nossa casa, nosso chão!

Nos foi entregue com amor
Tudo que aqui nós vemos e tudo de que nos servimos,
Mas Deus é que é o dono e Senhor
Do que nós pensamos que aqui possuímos.
É tudo para nosso uso enquanto aqui estivermos
Ou até quando cada um precisar!
Por isso não tem sentido estragar,
Desperdiçar, acumular,
Querer sozinho para si, vantagem querer levar...
Porque um dia vai chegar e Deus vai querer saber
Qual foi o nosso jeito da terra dominar.
Se nenhuma besteira fizemos,
Nem deixamos os outros fazer,
Talvez possamos merecer
Em um novo Planeta morar!...
Mas antes que a gente se vá,
Vamos nos unir e cuidar,
Com mais respeito e atenção
Deste Planeta que é nosso...
Nossa Terra, nossa casa, no chão!


Natal/RN/Brasil
Em 22.07.2008

 

 

Pobre, esta terra nossa!

Eugénio de Sá

Pobre, esta terra nossa, em que vivemos
Que se contorce em pranto, de doente
E fomos nós que assim a pusémos
Neste aviltar do gesto, tão dormente

Queimámos-lhe as florestas e a alma
E o sangue negro pelas veias lhe sacámos
E ela, pasmada, soube aturar com calma
Todas as tiranias que causámos

Do seu ventre materno e exaurido
Abrem-se agora em espasmos as entranhas
Pelas dores causadas, que sente tamanhas

E à solta os elementos solidários
Com o sofrimento do mundo sofrido
Choram, com a terra, os seus muitos fadários

 

 


CONTEMPLAÇÃO

© Joaquim Marques

Oh! Natureza! Quanta beleza me mostras!...
Beleza essa que, em todo seu esplendor
Sinto dentro de mim. Quanto me confortas!
Porque tudo em ti, é obra do Criador.

Ao contemplarem-te, meus olhos te beijam;
Numa ficção quimérica, te desnudam...
Ao verem terra, céu e mar, só almejam,
Que tua beleza, jamais os iludam...

Na essência das coisas, há belos instantes;
Lagos tranquilos, nenúfares coloridos,
Flores nos jardins e árvores gigantes...

As cores do arco íris num tom celestial!...
Por tudo que só tu nos podes dar, Natureza...
Meus olhos te contemplarão até final.

 

 

DEIXA O PÁSSARO NO ESPAÇO.

Sá de Freitas


Deixa livre voar o pássaro no espaço,
Repousar no arvoredo e aninhar-se aos ramos,
Viver e procriar no seu próprio regaço,
Que é a verde mata que jamais plantamos.

Escuta-o cantar feliz em liberdade,
Gracioso a saltitar no meio da folhagem,
Sob o beijo do sol, sentindo a suavidade,
Do gostoso roçar da brisa na plumagem.

Não o prendas jamais, deixa-o cantar liberto,
Para alegrar um pouco mais a Natureza,
Cuja destruição parece-nos tão perto.

Pois da exígua gaiola, frágil e indefeso,
Ao olhar para o Espaço imenso, com certeza,
O seu canto é um lamento por sentir-se preso.

Samuel Freitas de Oliveira
Avaré-SP-Brasil

 

 

CHORO DA TERRA

Luiz Poeta

Luiz Gilberto de Barros – às 22 h e 58 min do dia 2 de março de 2012 do Rio de Janeiro
Especialmente para a Ciranda “Mãe Terra” – Ilze Soares


Se a terra chora, cada rio que a celebra
Invade casas, becos, ruas , avenidas
Cada barranco é como um vaso que se quebra
Matando a paz que se desfaz, ceifando vidas.

Cada vulcão é um coração solto do peito,
Quando o planeta regurgita o que o mata
Enquanto o homem só se sente satisfeito,
Quando polui, suja, destrói, fere e desmata.

Então, o tempo implacável se encarrega
De ensinar à criatura que se nega
A proteger a natureza que o cria,

Que quanto mais a Terra fica ameaçada,
Mais ela estende sua dor desesperada
A cada vida que se torna mais vazia.

 

 

MÃE TERRA

Mifori

A mãe terra nos dá vida,
e a luz do amor ilumina;
na caminhada florida
ela não nos elimina.

Quem ama a mãe natureza,
respeita o planeta terra,
não só por sua riqueza,
mas, pelo valor que encerra.

(SP: 05.03.12)

 

 

REVERTÉRIO

Humberto Rodrigues Neto

Todos nós nos sentimos apreensivos
com as catástrofes da natureza,
que até parecem atos punitivos
a encher o globo todo de tristeza!

No brasileiro sul, farto de encantos,
cai um dilúvio que jamais termina;
São Paulo, Rio e Santa Catarina
mesclam às chuvas seus doridos prantos!

Na América Central, ferros retortos...
entranhas de edifícios nuas, ao léu...
É o caos do Haiti a suplicar ao céu
crença e coragem pra enterrar seus mortos!

Mal refeitos de sorte tão rasteira,
eis que o mar cospe, desde o limbo interno,
todas as ondas que guardava o inferno
sobre a indefesa e tão gentil Madeira!

Em sequência ao diabólico desfile
dessa tragédia que no globo explode,
eis que o solo convulso se sacode
e espalha a morte e o pranto pelo Chile!

E do tempo a fatídica ampulheta
desfecha no Brasil novos assombros,
a jogar lama, sangue, morte e escombros
na mais bela cidade do planeta!

De olho no lucro que lhe estufe o cofre,
o homem lança nos céus toda impureza,
depois reclama contra a natureza
por devolver-lhe as agressões que sofre!

 

 

NATUREZA

Susana Custódio

Na sombra das matas, do sol me aquieto
Os tons que vejo são mais de mil
Embrenhada na Natureza me completo
Olhando o céu de cor anil

Perante esta vastidão me inquieto
Amo as cores da Primavera em Abril
O mundo parece um jardim secreto
Ver que o destroem me faz sentir débil

Quão mal tratada és Natureza
Há muito que se ouvem os teus ais
Evocas ao mostrares a tua grandeza

E moribunda, vais pedindo amor e atenção
Eu, só, impotente, fico com a certeza
Que tu natureza estás em constante aflição

Sintra - Portugal - 11 de Março de 2012

 

 

MÃE NATUREZA

Beki Bassan

Não se deve ignorar a Natureza.
Desastres, vêm ocorrendo dia a dia.
Não podemos dizer que não vimos,
a prova está a olhos vistos.
Vamos respeitar esta beleza que recebemos,
para que tenhamos uma vida saudável .
Ainda existe tempo para remediar.
Acreditem nisso !
Vamos levantar a bandeira de alerta,
e clamar por piedade pela nossa terra.
Afinal a Mãe Natureza nos traz amor,
e alguns ou quem sabe a maioria,
a presenteia com odor.
Devemos respeitar o que nos foi ofertado,
com tanto carinho e sem nada pedir em troca.
Porém se não queremos este lindo presente,
então a Mãe Natureza tem todo o direito
de destruir, o que alguns não desejam ter.
Mas eu peço, olhem para os lados e percebam
o que está ocorrendo no Universo.

 

 

SOS na Terra

Zeca Feliz Avelar

Sob as nuvens de pó e luição
na cor cinza sem cor nem sabor
qual formigas em sua imensidão
se aglomeram os humanos inda gente
que um dia nesta Terra herdada
construiram seu lar - sua morada

Os Pacíficos e Atlanticos oceanos
que de peixes e outros seres mais
ora abrigam em sua liquidez
o resultado da morte em vida
no deserto de suas profundezas
onde outrora era tudo beleza

No passado quantos arcos-iris
coloriam os espaços celestiais
Hoje os raios de luzes - sem luz
riscam os céus de cinza monocor
sob os ruidos estridentes gritantes
todos eles desprovidos de amor...

Onde estão os pássaros que nos ares
acordavam os mortais nas manhãs
com seus cantos, assovios e encantos
e os animais que dividiam os espaços
com os homens em total harmonia
Que saudades da noite... do dia...

O que foi feito das Florestas Amazônicas
que dos Mundos da Terra - pulmão
e as flores que coloriam as vidas
pra onde foram? E agora - onde estão?
E quem sabe da vida marinha
que nas terras dos mares - mais tinha!

Onde estão as nossas crianças
que sempre foram nossas esperanças
nos porvires depois do porvir...
Pois parece que nos dias - sem dia
tudo é noite - no mais temível escuro -
Era esse o nosso futuro?

Ah! Me acorde Natureza-Mãe-Terra
desse pesadelo que me atormenta
vê se manda para bem longe de mim
esse sonho que parece sem fim...
E que esse meu pesadelo "medonho"
tenha sido somente um sonho!!!

S O S na Terra...

 

 

MÃE TERRA

Gilson Faustino Maia

Mãe Terra um dia quiseste
mostrar-me aos outros viventes.
À tua face trouxeste
esse teu filho inocente.

Ele veio, era bonito,
cresceu, amou, foi feliz.
Passado um tempo, já aflito
sem ter a vida que quis,

já sabe que irá voltar
ao teu seio, Mãe Querida.
Está disposto a entregar
o que lhe resta da vida.

 

 

MÃE TERRA

Mãe natureza...que pródiga pariste
dirigida pela mão de Deus...
como boa mãe a este planeta
chamado Terra lhe diste...
Filhos de diferentes espécies,
Flora e Fauna...
hoje indefesos...que aos poucos
foram-se transformando em...
árvores devastadas,
mutiladas...
animais perseguidos...
extinguidos.
Água e ar, contaminados,
por mãos... humanas?
Filhos de outra espécie,
cortando...
matando...
contaminando...
povoando a terra de ambição e poder...
esse mesmo que depreda semeando
miséria, destruição e dor.
Terra que hoje mostras tuas chagas
em terra hirta..
e em águas que alguma vez foram claras,
hoje pedes a gritos...

TOMEM CONSCIÊNCIA!!..

Rosenna
Buenos Aires-Argentina

 

 

Mãe Terra

Rita Rocha

Chora nossa Mãe, geme em prantos, agoniza.
O povo desta Terra só a martiriza.
Os rios poluídos, com toda sorte de dejetos
Tudo corre aleatoriamente, sem projetos.
Devido altas temperaturas do ar
O degelo se faz notar, calotas polares
A despencar. E os animais onde morar?!
As florestas são derrubadas e até queimadas
Pra dá lugar às pastagens, e casas a habitar.
O homem realmente perdeu a noção do viver...
Seria bem diferente sem a energia nuclear.
Porque não se aproveita a energia solar?!
A vida na Terra está desprotegida.
Quisera eu ter uma varinha mágica,
E colocar cada animal, cada vegetal,
Cada mineral e também o homem
No seu devido lugar.
Respeitar o meio-ambiente é a
Mãe Terra, amar e nossa Vida Salvar!

 

 

MÃE TERRA

Mãe sofrida, maltratada,
muitas vezes humilhada.
Seus filhos não lhe dão valor,
não sentem que emanas calor!
Mãe Terra és mãe de todos
os sobreviventes do planeta,
embora muitos lhe respeitem
e afaguem a sua filha com carinho,
cuidando dela com desvelo e amor.
Eu a amo, com certeza,
sua filha... a Natureza!!

Dilma Suero

 

 

TERRA

Luiza Porto

Ouça o grito
Vem das entranhas
A terra está dando,
seus últimos suspiros.

Pare para ouvir
Ela reclama, suplica.
Ate quando vamos ensurdecer
E continuar a ela maltratando.

Poluímos sua águas
Doces e salgadas.
Queimamos suas florestas
O ar, já não respira.

Que deixaremos de lembranças
A nossos descendentes
Como seremos julgados
No dia que a Terra parar

 

 

MÃE TERRA

Maria Tomasia

Mãe que és sempre tão gentil
com teus filhos que não agradecem;
tratam-te com esse desprezo vil
e de ti jamais se compadecem.

Mãe Terra, a todos dás a vida
e não deixas teus filhos ao léu,
mas eles te fazem tão sofrida
e te queimam num grande fogaréu.

Pobre mãe que deveria ser tão querida,
pois quando com fome, todos te pedem guarida,
contudo não procuram em nada te cuidar
e estão sempre a te maltratar.

Quando te sentes muito acossada,
trazes tsunamis, chuvas e terremotos.
Aí, teus filhos fogem em debandada,
pelo temor de serem todos mortos.

Muitas tragédias ainda poderão suceder,
se não tiverem o bom senso de te proteger,
tratando-te com o carinho que mereces,
para, em troca, receberem tuas benesses.

15/03/12

 

 

TE R R A = D E U S A G A I A

Daria Farion

Espaço cósmico, negro firmamento
Entre o céu e a terra o horizonte sumiu
Estrelas , galáxias no espaço infinito se revelaram.
No êxtase, meu eu também se perdeu.


Rósea aurora. No hiposcênio a deusa gaia em cores de mil matizes
Em sons da energia fractal em todo planeta a pulsar.
Brisas suaves, luz e sombra, tsunamis e lagos dourados,
Mas há borboletas no caos, albatroz desafiando tempestades.

No epicentro deste cenário um ser autárcico, sábio, contemplativo.
Abrindo escaninhos da alma pelos labirintos da vida,
Compondo a pauta que canta o amor no pranto , no canto.
Reverberando pelo oceano do infinito a incógnita da eternidade.

Sob a égide do Creador, se supera desvenda o código da vida,
Vertente insaciável do desejo, navegando pelas realização,
Busca a verdade nos espaços cósmicos, tempos reais e virtuais.
Faz a leitura do MAKTUB *na incógnita da eternidade.

Engenho homem, vai construindo templos de saber.
Relações verdadeiras na frequência vibratória da ciência,
Tecnologia, complexas equações, paradigmas novos,
Extraordinárias realizações para um mundo melhor.

Na virtude dos fortes, prossegue a humanidade
Pautando as lutas, orquestrando as vitórias,
Com maestria tocando o violino, mesmo numa corda só
Acrescentando apojaturas, louvando o Creador.

Sementes de futuro, crianças índigo nascendo, Nova Era despontando,
Luzes novas na acrossofia o homem este singular universo
Poderoso, concriando
Criando um mundo novo em cada avançar, fazendo a travessia para
Nova Era

Deus Onisciente, Homem Ciente
EUDEMONISMO

Quem somos?
- Um SER
SER HUMANO
- UM EU
EU HUMANO-DIVINO

* Estava Escrito

 

 

 

 

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.