PARTICIPANTES
 
 
01 - Ilze Soares
02 - Naidaterra
03 - Antonio Barroso (Tiago)
04 - Humberto - Poeta
05 - Clara da Costa
06 - Marcial Salaverry
07 - Ju Armos
08 - Vanderli Medeiros
09 - Rosamaro
10 - Mª Lourdes Brecailo
11 - Jerson Brito
12 - Rute Seubert
13 - Nilda D.Tavares
14 - Roze Alves
15 - Dany Burgueira
16 - Luiz G. Bezerra
17 - Gildina Roriz (Magy)
18 - Cibele Teixeira
19 - Cida Micossi
20 - Marlene V. Aragão
 
 
 
 

 

 

 Sem Conversa!

Ilze Soares

Hoje, ele se foi para nunca mais!
E se eu o conheço bem, não vai voltar atras...
Fico perdida, tento entrar na rotina,
mas já não consigo me adaptar...
Não quero sair, menos ainda me divertir.
Quero ficar aqui, pois se ele me procurar,
sabe onde encontrar.
Eu so queria saber, e nada vai me deter,
o que fiz pra voce não mais me querer.
Voce briga comigo, me amaldiçoa,
mas fica bravo se me vê com outra pessoa...
Grita, pega as coisas e vai embora,
no fundo, eu sei que voce me ama.
Acredite, eu vivi com voce apenas por isso.
Apesar de não ser um paraiso,
tinha suas emoções.
Mas agora, juro, nem que me peça,
se ajoelhe e implore,
não tem mais conversa!
Vou tirá-lo do meu coração,
logo após ouvir sua explicação!

 

 

 

 

BRINCOU DEMAIS...

Naidaterra

Voltas dei ao mundo para
tocar teus lábios, segurar
tua mão... te amar...
Remexi uma terra agreste
e plantei flores que feliz
colhi e dei p'ra você...
Diversos vestuários usei
em pantominas, ao mundo
eu dizia, estou aqui com você...
Mas a vestimenta de palhaça
se fez presente, caiu meu
mundo, não me amava,
brincava de amor comigo...
Beijava meus lábios pensando
estar beijando outros que não
podia ter...
A dor me fez esquecer você,
nem mesmo me lembro da
cor dos teus olhos, decidi
te apagar para sempre, sem
lembranças de uma triste
e falsa realidade...
Meu coração te diz "não",
você perdeu para sempre o
amor que um dia dei
voltas ao mundo para lhe dar...
Brincou demais com um coração
que era só amor...

 

 

 

 

 Amo-te

Parece despropositado,
Com a nossa idade,
Dizer palavras de enamorado
Parecendo sem sentido,
Tão longe da mocidade,
E a sussurrar no ouvido:
- Amo-te?
E o olhar seguir, com doce prazer,
Cada gesto ou movimento,
Com a lareira, fumegante,
A lançar, a cada momento,
Faúlhas que só sabem dizer:
- Amo-te?
E ouvir, lá fora, a ventania
Assobiar, aos sentidos,
Baladas de amor, de alegria,
Que deslizam pelo ar,
E, entre tantos bramidos,
Com doce prazer, escutar:
-Amo-te?
Ou ouvir a ave canora
Trinar promessas de outrora
Na manhã de cada dia,
E nas cordas dum violino,
Vibrar a ternura de um hino
Nos sons duma sinfonia:
- Amo-te?
Meu, amor, tanto carinho
Pelos anos acumulado,
Poderá ser encarcerado
Nessa prisão do caminho
Do tempo já tão distante?
Posso ou não olhar teu rosto
E dizer que de ti gosto:
- Amo-te?
Com meiguices, com afectos
A vida segue adiante,
Os anos, por nós, passaram,
Perante filhos e netos,
Mas nunca, nunca deixaram
De dizer, a cada instante:
- Amo-te!

António Barroso (TIAGO)

 

 

 

 

 AGORA...

Humberto Rodrigues Neto

Agora que o meu sonho está desfeito,
e enfim sepultos os meus ideais;
agora que, ao invés de madrigais,
choram dobres de réquiens no meu peito;

agora que me foge até o direito
de imaginar-te em sonhos irreais;
agora que ilusões não me vêm mais
ao coração magoado e insatisfeito;

que eu siga só, o meu trágico caminho,
onde da sorte a aguda e acerba foice
ceifou-me as dádivas do teu carinho;

que por ti meu coração não mais baloice...
ah... deixa-me esquecer-te, aqui sozinho,
soprando o pó de um grande amor que foi-se!

 

 

 

 

UM DIFÍCIL ADEUS

Clara da Costa

Nem sempre queremos
um adeus dar...
Muito difícil um adeus
depois de tantos
momentos que ficamos
a amar...
Com o coração em dor,
eese adeus temos que dar
na solidão aprender a ficar
até o coração curar
a ferida cicatrizar...
E poder um dia, novamente,
amar...
se possível,
sem sentir o toque de tuas mãos,
sem sentir o corpo tremer de saudade
por teus olhos não fitar
sem minha boca na busca da tua beijar...
Como esquecer...se na minha pele
teu cheiro teima em ficar...
Um adeus,
sem conversa...
Uma saudade
que é você...!

 

 

 


ARQUIVOS DELETADOS

Marcial Salaverry

Sempre precisamos nossa vida reciclar...
Sempre existem arquivos a deletar...
Coisas envelhecidas, desgastadas,
e até mesmo inutilizadas...
Pra que guardar tristes recordações?
Pertencem ao passado...
Um bilhete apaixonado...
Uma flor que murchou,
com o tempo que passou...
A vida para a frente nos chama,
devemos esquecer a quem não mais se ama...
Que fique perdido no passado
a lembrança daquele beijo apaixonado
daquele carinho desvairado...
O tempo tudo apagará,
e logo nem lembrança restará...
É triste quando morre um amor,
parece que da vida nos foge o calor...
Mas o tempo tudo cura,
e até mesmo aquela jura,
ficará esquecida,
num desvão qualquer da vida...
Novos amores surgirão,
dando nova vida ao coração...
Mas se não for possível esquecer,
de tristeza poderá morrer...
Por ter assim perdido
um amor jamais esquecido...

 

 

 

 

 Sem Conversa

Foram tantos os discursos,
Esgotados todos os recursos,
tentativas vãs de esquecimento.

Foram tantos os sortilégios,
Renunciados todos os privilégios,
e não calados os pensamentos.

Necessário apenas um olhar,
Suficiente apenas um leve toque
e reeditamos este imenso amar.

Então...vamos enfim combinar:
nada façamos que provoque
este eterno partir, sofrer e voltar.

(Ju Armos)

 

 

 

 

 Podes ir

Vanderli Medeiros

Podes ir, um dia,
terá que voltar
a saudade de nós
irá te perturbar

Tentará pensar
que foi somente ilusão,
mas em seu coração,
entrei para ficar,
não foi amor de verão

Podes ir,
Quando se der conta
o arrependimento
te consumirá

A saudade te perseguirá
Sentirá o sabor
dos beijos perdidos

O calor
dos abraços esquecidos


Do amor
interrompido...

Podes ir,
mesmo sabendo
que voltará
porque ao meu lado
é seu lugar

Podes ir,
só não demore
para voltar!

 

 

 

 


SEM CONVERSA...

Rosamaro

Sentindo uma dor no peito...
No dia da despedida,
O sonho ficou desfeito...
Naquela triste partida,
Um breve aperto de mão...
Um olhar,um abraço às pressas,
Só falava o coração,
Num palpitar sem conversa.
Um silêncio tão profundo...
Parecia abalar o Mundo.

 

 

 

 


SEM PAPO...

M. Lourdes Brecailo

Vem amor... Sem papo...
Deixe esse foot ball ingrato...
Que muitas vezes tenta roubá-lo de mim...
Vem... Já coloquei flores no vaso de
cristal...

Sobre a mesa... Duas taças sedentas...
Pelo vinho da noite que nos regará...
No som... A nossa melodia preferida...
Na cama... Lençóis de algodão como você
gosta

Vem... Na penumbra... A luz esmaecida...
Vinda das chamas da lareira...
Aquecerão nossos doces momentos...
Inesquecíveis e esperados... Como sempre.

 

 

 

 

 IRREDUTÍVEL

Jerson Brito

O choro não cessa
Você vai embora
Meu Deus, e agora?!
Pra quê tanta pressa?
Não me deixe nessa
Sozinho, infeliz
Não sei o que fiz
Ao menos me escuta
Comigo discuta
A causa me diz

 

 

 

 

COMO GOSTARIA

Rute Seubert

De contigo estar a conversar falo, falo,
E nada digo só meu eu hoje é porto de abrigo.
Finjo matar a dor e matar também a tristeza.
Nas horas de solidão a conversa é comigo,
Desnudo-me e nada me abala,
Até consigo me ver como uma rainha.
É nessa hora que conto estrelas que no céu cintilam
Embora continuo na singeleza de uma conversa só minha
Conto meus tormentos
E não consigo parar, pareço demente.
Quando vejo estou embrenhada em lamentos
Mas... Ainda consigo olhar para frente
Preciso separar o real da ilusão
Vou embrenhar-me no tempo
Para encontrar a lucidez e a razão.

 

 

 

 

Cala-te.

Chega de conversa, não quero mais você.
Quero recomeçar, voltar a viver.
Preciso esquecer o teu calor,
As nossas noites de amor,
E o sabor maravilhoso do teu beijo.
Cala-te, não digas nada.
Tuas palavras já não me inspiram desejos.
Sem conversa eu quero te deixar...
Fechar meus ouvidos ao teu delicioso sussurro.
Não deixar teu toque me queimar.
E quando você finalmente se afastar...
Eu vou chorar pra burro!

Nilda Dias Tavares.

 

 

 

 

 Sem Conversa

Roze Alves

Não entendi que crime cometi
Calaste-se totalmente, mas ainda aqui
Quero desgrudar seus lábios selados

Olhas-me como se fantasma eu fosse
Tudo bem, mas sem conversa não convém
Condenastes-me e não dizes por que

Contraste, amor e ódio

Unilateralidade, caminho sem volta.

Amanhecer-M
RJ: 04/09/2009

 

 

 

 

 Sem Conversa

Voce faz cara amarrada,
qualquer coisa é motivo para brigar!
Se atraso ou chego mais cedo,
se olho dos lados ou deixo de olhar...
Quer saber? Cansei de me torturar!
Desta vez eu vou me embora
pra não mais voltar!
Não quero mais saber de conversa,
agora é a minha hora
de ser livre para voar!

Dany Burgueira

 

 

 

 

SEM CONVERSA

Esse amor contagiante
Foi fogo sem chama
Foi paixão delirante
Engano e desencanto.

Paixão beijos eloqüentes
Loucura só isso me lembro
Daquele encontro fulminante
Entre mim e você meu bem.

Belo tudo foi belo de repente
Você chegou com mil promessas
Entrou com tudo em minha mente
Foi vida e hoje é só conversa.

Você se foi com se vai meus versos
Na tela do tempo só resta à saudade
Amor sem amor não tem conversa
Morre nu sem deixar sua marca


LUIZ GONZAGA BEZERRA

 

 

 

 

 Sem conversa!

Gildina Roriz

Sem conversa moço!
Não venha me dizer
que amor acaba assim,
sem mais nem menos...
Vá em frente,
fica longe de mim.
Sentimentos... Se os temos,
guardamos no coração!
Uma jóia preciosa
não se joga aos porcos.
Eis a questão...
Eu amei, você não.
Faço-lhe hoje um convite
Segue o seu caminho.
O meu estou buscando,
e vou encontrar, bem limpinho,
distante de você...
Num recinto de luz,
além da escuridão!

Goiânia, 1/10/08

 

 

 

 

 Sem conversa

Cibele C.Teixeira

Depois de uma vida juntos,
de várias lutas travadas,
desfrutávamos, enfim,
das vitórias alcançadas.

As arestas, aparadas,
não mais nos incomodavam,
e se houve mágoas passadas,
lá no passado estavam.

Na nossa vida serena
veio, então, o vendaval
que atinge a todos, sem pena,
e arrasa qualquer mortal.

E assim, num dia qualquer,
ele se foi, de repente,
sem uma conversa sequer,
sem despedidas formais,
pra não voltar...nunca mais.

 

 

 

 

 Sem conversa

Desde o início
Foi sempre assim
Eu precisava de alguém
Pra conversar, me abrir
E você “nem tava” pra mim.
Era o jornal, o sofá,
O noticiário da tevê
E eu ali, à sua mercê
Ficava horas sem conversar.
Assim o amor definhava
Até que um dia percebi
Que estava desencantada
E as palavras que eu não tive
Decidi que as cultivaria
Em forma de poesia
As mais belas guardaria
Pra trocar com quem me desse
Mais atenção e carinho
E que a falta de conversa
Na minha vida não mais houvesse.

Cida Micossi, Santos, 23/11/2009

 

 

 

 

 Sem Conversa

Tudo foi tão difícil!... Ver que mentiu...
Aquele sonho, o encanto ir feito fumaça...
Tudo escondido, seco; o mundo caiu...
Não consegui falar... Nem crer que desfaça

Tamanho amor!...Fiquei suspensa... Arrepio.
Grande foi o susto, o choro, a dor... Cadê a raça?!
Fiquei sozinha, só que não morri em vazio...
Reagi firme, surdos murros... Mordaça...

Tudo é passado; luz, a noite se foi...
Fiquei surpresa em ver teu rosto, sorrindo...
A disfarçar. Mudei, mas, trêmula... - Oi!

Áspera, seca, sem conversa, ou tolice!
Passou seu tempo, fim de tudo, estou... indo...
Não estou triste; só não quero outro cálice!

Marlene Vieira Aragão

 

 

 

 

Formatado por Angela Weikamp

 

Adaptado por Mara Pontes©

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.