PARTICIPANTES

 

01 - Ilze Soares
02 - Antonio Barroso (Tiago)
03 - Marcial Salaverry
04 - Marly Caldas
06 - Vera Hernandez
07 - Tarcisio R.Costa
08 - Rute Seubert
09 - Dilma Suero
10 - Clara da Costa
11 - Elmira C.Hernandez
12 - Luiz G.Bezerra
13 - Reginaldo Honório da Silva
14 - Celito Medeiros
15 - J.R.Cônsoli
16 - Ary Franco
17 - Humberto - Poeta
18 - Pilar Casagrande
19 - Sandra Galante
20 - Nadir Giovanelli
21 - Mifori
22 - Isabel Passos
23 - Mª Olga de Oliv.Lima
24 - Marinez Stringhetta/Mara Poeta
25 - Naidaterra
26 - Nara Pamplona
27 - Eri Paiva
28 - Giovânia Correia

 

 

 

Mistério

Ilze Soares

A vida é um mistério,
repleta de encantos e magias!
Nas rimas dos meus versos,
envio para todo o Universo
muita paz e alegria!
Em cada flor,
mando meu beijo de amor,
carinho e amizade,
desejando-lhe muitas felicidades!

 

 

Mistério

É um mistério porque a lua protege os namorados,
e a primavera faz sempre acasalar as aves,
os rouxinóis que encantam, com seus trinados,
como um toque de alvorada, ao nascer do dia.
É um mistério o calor do sol que tudo estimula,
o resplandecer da pequena flor, mimosa e esguia,
e a criança, irrequieta, com seus sons tão graves
que vai pedindo o peito para satisfazer a gula.
Mistério é, ainda, a água límpida, pura e cristalina
que nasce debaixo dum penedo, no alto do monte,
o arco íris que, de ponta a ponta, cobre o horizonte
indicando o percurso à corrente pequenina
que segue ancestral caminho em direcção ao mar.
mistério é dois corações unidos soletrando amar
numa contínua troca de beijos, ternos e sérios,
como se os devaneios e sonhos fossem só seus,
mas, acima de tudo, o mistério dos mistérios,
é porque, sendo tão imperfeitos, nos ama Deus.

António Barroso (Tiago)

 

 

SERÁ UM MISTÉRIO

Marcial Salaverry

Será um mistério,
para ser levado a sério,
se encontrar um amor verdadeiro,
para ser vivido por inteiro..
Nesse caso,
nada deixe ao acaso...
Mesmo que os encontros sejam raros,
devem ser aproveitados,
e que os carinhos não sejam avaros,
sejam bem apaixonados,
para que os raros encontros,
sejam vividos com emoção,
deixando de ser apenas meros encontros,
para serem vividas tardes de amor e paixão...
Se forem encontros poucos,
que sejam encontros loucos...

 

 

Mistérios

o que seria da vida
se mistérios não houvessem
livros não se escreveriam
poetas não poetariam
perguntas não seriam feitas
talvez nem felizes seríamos
com todas perguntas respondidas
todos saberiam o que é a morte
o que é o amor
e o maior mistérios de todo
o que é a vida...

marly caldas

 

 

O MISTÉRIO DE UM AMOR!

Vera Hernandez
(GAMINE)

Quando se ama
e muito se é amado,
tudo é mágico, misterioso, tudo é maravilhoso.
A vida nos sorri,
o dia fica mais iluminado,
as noites mais inspiradoras.
Com um amor no coração,
vamos longe.
Atingimos as alturas,
nada perdemos desse amor.
Tudo que dele provem
nos é útil,
nos é iluminado,
nos faz feliz,
massageia nosso ego
e achamos que
somos a pessoa mais
importante deste mundo.
O amor é mágico e misterioso.
Ele é loucura.
Doçura.
Ternura.
Salvação, mas também perdição.
Saiba amar,
com tranquilidade,
com delicadeza,
sem grosserias,
com bondade e sabedoria.
Essa magia e mistério de um amor...
Serão sempre loucuras de mim!

PS: EU TE AMO

 

 

O CONFLITO DOS MISTÉRIOS

Tarcísio Ribeiro Costa

A imensidão dos mares,
Os confins do firmamento,
O cadoz, a latência sem cor!

Tudo parece me alertar
Que sou pequenino como o mar,
Diante do Senhor.

Meu juiz é a minha consciência.
Faz-se essencial ter paciência
Para um rumo certo encontrar.

Preciso nortear os meus pensamentos,
Manter meus sentimentos sob controle,
Para conhecer a forma lúcida de amar.

Há crenças em efetiva promiscuidade,
Induzindo a seguirmos rumo diferente,
Na busca de uma única verdade.

Em nome do Deus do amor e da paz,
O ser humano na sua vulnerabilidade,
Torna-se um ser insciente, incapaz .

Abjuro a ameaça dos deletérios,
O meu viver é o momento atual,
Continuo pensar no bem e no mal,
Sem me opor ao conflito dos mistérios.

 

 

Mistério

Na vida tudo é mistério!
nascer,
viver,
morrer,
amar e ser amado,
O cantar de um pássaro,
A marola do mar,
O azul do céu,
O som dos ventos,
A chuva que bailando, cai sobre o telhado,
O sol com seus raios dourados,
para aquecer nossas almas.
Tudo é... e será sempre mistério.
Até voltar-mos para casa de Deus Pai,
que tenho certeza nos ajudará a desvendar
se não todos, mas muitos dos mistérios.

Rute Seubert

 

 

MISTÉRIO

(Dilma Suero)

O maior mistério, a meu ver,
é a origem verdadeira do ser.
Tão perfeito, sem defeito,
tudo funciona a contento.
Cada órgão em seu lugar
com funções como falar,
comer, pulsar, andar, viver
e principalmente amar.
Para desvendar o mistério
só mesmo se conscientizando
que Deus criou todos nós
em estado de graça... amando!

 

 

MISTÉRIO

Quando teu olhar se perde no meu,
as palavras não falam,
entalam,
paralisam as emoções...
as mensagens se ocultam,
os pensamentos se escondem,
numa mistura de sensações indescritíveis...
Que mistério é esse,
que coisas da vida são essas,
que traçam nossos caminhos?
Em silêncio,
a saudade chega,
se debruça bêbada,
na solidão da mesa de um bar...

Clara da Costa

 

 

Mistério

Na vida o começo é mistérioso
quem somos, o que somos
quando surgiu o mundo?
ELE nos fez com sabedoria,
nos deu corpo, alma, inteligência,
mas o que fizemos a ELE?
Em troca o humilhamos,
ferimos o seu amor.
Hoje temos a tristeza no peito,
rezamos, em varias orações
pedindo seu perdão,
ao apreciarmos as flores,
o canto dos pássaros,
as corredeiras dos rios
as ondas do mar sem fim.
Mas em momentos de insanidade,
de ganância, a loucura nos procura,
destruimos a Natureza
em nossa avareza
ofuscando os raios do sol,
o brilho das estrelas, a luz do luar
e tudo dela tirar e nada doar.
Assim fica o mistério,
como iremos ficar
pra onde iremos voltar
se não soubermos amar?

Elmira C Hernandez

 

 

MISTÉRIO DA VIDA

Viver é sonhar e descobrir os mistérios
Escondidos na cauda dos sentimentos
Voejando agora por toda a terra
Curando as feridas deixadas no tempo...

Mistérios e mistérios volvem a vida
Nas horas vivas da nossa mente
Da saudade que fica dos amigos
Dos amores que vivem com a gente...

Das noites memoráveis no céu infinito
Dos halos advindos dos suspiros
Na luz perfeita num simples fio de vida
Ovacionando o amor com seu brio.

Mistérios solidários
De encontro a cada dia
Dos abraços entre amigos
Da melodia de um sorriso.

Luiz Gonzaga Bezerra

 

 

ALÉM DO MISTÉRIO

© Reginaldo Honório da Silva

Às vezes acho que o amor
É um túmulo violado
Onde se deixa apenas
O que serve à alquimia
Além do mistério
Os dentes de ouro
Os anéis de brilhante
E o colar de diamante
São roubados
E legados aos amantes.

Rio Claro, 06 de novembro de 2005.

 

 

Sem Mistérios

Celito Medeiros

Gosto da ousadia
Que muda o velho
Gosto da aventura
Que traz novidade
Gosto desta proeza
Que sacode o trapo
Não canto sofrimento
Que atrela os tempos
Não clamo a tragédia
Que atropela o incauto
Espero pela mudança
Ela virá sem muito alarde
Vivo de olho na liberdade
Dos que estão prisioneiros
Não sigo tais turbulências
Que não mudam este rumo
Vivo confiante na vitória final
E nos amigos da humanidade
Quero voltar ao começo de tudo
Rasgar distâncias de onde viemos!

 

 


Mistério

J.R.Cônsoli

Foi assim mesmo que aconteceu!... Ele estava em cima do morro contemplando o horizonte e zupt!... desapareceu sem deixar vestígios. A única testemunha ocular - um papagaio - repetia incansavelmente: luz...luz...luz! Toda a aldeia conhecia o rapaz desde seu nascimento, há uns 16 anos. Seu pai era dono da única serraria da região e ele tinha dois irmãos mais velhos e uma irmã caçula de nome Antônia. Diogo era uma pessoa original, com idéias interessantes. Sua versão sobre qualquer fato sempre diferia das demais, era mais inteligente, mais minuciosa, e se examinada com mais vagar, muito mais provável. Certa feita caminhava de volta pra casa, por estrada escura durante a noite. Vaga-lumes piscavam a mais não poder, quando grossas gotas de chuva começaram a cair. - Eu tenho que chegar ao meu destino... custe o que custar - pensava. Muitas vezes nossos caminhos são difíceis, sem sonoridades e perfumes, com pedras, lama e empecilhos, mas chegar sempre é preciso. A Aldeia incrustada por entre as colinas estava ainda bem longe e Diogo progredia aos poucos na escuridão, sob chuva forte. Continuou sua difícil viagem por alguns minutos, quando finalmente alcançou o topo de um morro. Os relâmpagos iluminavam toda a paisagem e lhe davam a perfeita dimensão da enormidade das montanhas que o circundavam e da extensão do vale que se distanciava para o horizonte. Um rio de muitas águas corria célere lá em baixo com grande barulho, amplificado pelo eco nas paredes montanhosas. Era véspera de Natal, Diogo era esperado pela família e amigos para a ceia. A chuva persistia - não dava tréguas - e a trilha por entre montanhas ficava cada vez mais escorregadia e perigosa. Quando cuidadosamente descia uma encosta lodosa avistou, logo à frente, no interior do que seria uma caverna, a luz tremulante de uma lamparina ou coisa parecida. Aos poucos foi se aproximando, quando pôde perceber o vulto de uma pessoa, que nesse exato momento pegou a luminária e caminhou em direção à entrada da gruta. O jovem, num ímpeto de coragem, disse algumas palavras ao eremita que de pronto o convidou a entrar para proteger-se da chuva que insistia em cair cada vez mais pesadamente. Embora a entrada fosse estreita, o interior da caverna era espaçoso. Uma luz suave tremulava no ambiente e um perfume de ervas aromáticas dava um toque sobrenatural ao recinto. Com um ar pacífico e movimentos suaves, o velho pousou a lanterna sobre uma pedra e sentou-se ao lado, num tronco de madeira estendido na lateral, cuja extremidade mais distante encontrava-se no limiar da porta de um outro compartimento, de onde vinha um cheiro gostoso de comida pronta. - Fique à vontade - disse o velho - volto num instante - e saiu apoiado em seu cajado, deixando o rapaz naquela espécie de ante-sala, cujas paredes apresentavam incrustações coloridas que variavam constantemente de tonalidade. Passados alguns instantes, melodiosos acordes se fizeram ouvir e um brilho incomum e acolhedor iluminou todo o ambiente. Na entrada ao lado estava o ancião a convidá-lo a entrar com um aceno de mão, no que foi prontamente atendido. No meio de uma espaçosa sala encontrava-se uma mesa feita de pedra encimada por uma vasilha contendo uma sopa fumegante, cujo aroma dava água na boca. O rapaz sentou-se num banco também de pedra, e do outro lado acomodou-se aquela figura dócil e tranqüila, que trazia no olhar e nos gestos a magnitude dos sábios, a calma e a brandura dos bem-aventurados. Após a refeição Diogo contou toda a sua história, falou do seu interesse pelas coisas esotéricas, do seu instinto de percepção aguçado, da sua capacidade de sair do corpo, enfim de tudo aquilo que ele vinha experimentando com grande interesse desde a mais tenra idade. Kitor ouvia com atenção e muitas vezes durante o relato, acenava positivamente com a cabeça, como se conhecesse, de perto, os poderes do rapaz. Por fim disse o jovem: - Preciso seguir viagem, ainda tenho muito chão pela frente, prometi estar com a família antes das comemorações do Natal, portanto não tenho muito tempo. Kitor sorriu calmamente: - Não se preocupe, você estará lá no momento certo, vou lhe ensinar como fazer, e em segundos estará entre os seus. Diogo já ouvira falar dessa técnica, somente pessoas com um alto grau de evolução espiritual poderiam experimentá-la, seus olhos brilharam de entusiasmo, era tudo que ele queria aprender, há muito tempo procurava, em vão, por esses ensinamentos. - Diogo, eu sabia desse nosso encontro hoje,
para lhe dizer a verdade, eu me preparei pra recebê-lo, e senti quando se aproximava debaixo daquela chuvarada. Agora, se você quiser, poderei passar-lhe muitos conhecimentos, tenho muita coisa para lhe ensinar. Tenho me aproximado de você por diversas vezes, conheço a sua busca incessante pelo autoconhecimento e o tenho ajudado nessa caminhada sem que você se desse conta. Finalmente hoje pudemos nos encontrar... estava agendado no cosmo! Vivo aqui há cinqüenta anos e você é meu nono e último discípulo; dentro de dois anos terei que partir, e você foi o escolhido para continuar meu trabalho. Diogo sabia da responsabilidade que o seu
carma colocava-lhe nas mãos, mas seu coração vibrava em alegria e contentamento. Sempre tivera a intuição que algo muito importante iria lhe acontecer. Sonhara várias vezes com fatos parecidos, com rituais de iniciação, onde lhe eram oferecidas difíceis tarefas. Disse ao mestre, da sua alegria, do seu entusiasmo e disposição em seguir o caminho... Ali mesmo fez seu juramento e recebeu a iniciação e ensinamentos sobre desmaterialização. Despediu-se do mestre prometendo voltar breve... antes do fim do ano. Escalou um pequeno morro de onde ainda era possível vislumbrar o horizonte iluminado por relâmpagos longínquos, e desejou ardentemente estar junto aos familiares na aldeia encravada entre as montanhas. E, como por encanto, lá estava ele acarinhando seu cão que abanava alegremente a cauda. Uma neve tênue começava a cair, os flocos na vidraça pareciam formas geométricas tremeluzindo pelos reflexos do fogo da lareira. Família e amigos reunidos. Lá na montanha, um certo papagaio continuava repetindo: luz!... luz!... luz!...

 

 

MISTÉRIO

Como é bom que existas, poupando-nos da monotonia do previsível.
Já vimos o passado, sentimos o presente mas o futuro que seja invisível.
Quero sempre ter que acumular forças para poder arrostar o inusitado.
Lutar em um desconhecido porvir, em busca de um profícuo resultado!

Ary Franco

 

 

MISTÉRIOS

Meu coração contrafeito
não consegue desvendar
de que mistérios foi feito
o brilho do teu olhar!

Humberto - Poeta

 

 

MISTÉRIO

Pilar Casagrande

Quanto mais o amor se esconde,
Mais ainda é descoberto...
Não vês? Colibri esperto
Beijou um botão na fronde...
Como se ilude, coitado,
No beijo ligeiro e mudo!
Um raio de sol, gravado,
No orvalho da flor, viu tudo!
O luar surgiu na alfombra!
E eis que, como espavoridas,
Duas bocas bem unidas
Fogem logo para a sombra!
Que inocência no pecado
Do beijo escondido e mudo:
Raio lunar, disfarçado
Em pirilampo, viu tudo!

 

 

Como definir Mistérios?
O encontro casual de duas pessoas
O amor compartilhado entre elas
A sensualidade dos dois num ato

A Luz do Sol no Dia
O Brilho da Lua na Noite
O Eclipse encontro de Astros

O Milagre do Nascimento
O Destino da Morte
A História da Vida

O Grande Arquiteto do Universo
Sua Onipresença, Oniciência
Sua Onipotência

Wilson Sanches

 

 

Mistérios...

E a noite chegou e tudo se aquietou
Entrego-me aos mistérios da noite
Lua, estrelas e a doce brisa me encantaram
Um meigo convite para eu descansar...
Pela janela, entra sorrateiro o luar
Na magia delirante tudo parece encantar
O sono chega suavemente
Quero dormir, sei que contigo irei encontrar
Mistérios que em meu sonho irei procurar
No entusiasmo da louca paixão
Pergunto-me se é um sonho ou uma ilusão...
Só escuto o silencio enfadonho da saudade.

Sandra Galante.

 

 

MISTÉRIO

A vida é doce mistério,
na magia das cores,
a quem incendeia o amor,
na doçura dos manjares , nos sabores,
na beleza e perfeição da flor.

A vida é um triste mistério,
na dor, no lamento
pela perda de alguém,
na doença no sofrimento,
de quem sentiu-se ninguém.

A vida é alegre mistério,
no dia de um nascimento,
na força da oração,
na gratidão, no sentimento
de paz, de quem recebe o perdão.

A vida é vibrante mistério,
desde o sol da manhã, trazendo alegria,
de gente que se doa, e faz acontecer,
do passo mantido, pelo pão de cada dia,
do romantismo ao anoitecer.

Nadir Giovanelli

 

 

TROVAS SOBRE MISTÉRIOS

Mifori

Queres mistério mais lindo?...
Sonoridade das ondas
junto as rochas, indo e vindo
nas suas eternas rondas.

Mistérios do coração
ao trazer insegurança,
prejudica a relação
destruindo a confiança.

Turbilha-me de emoção
o mistério que lhe envolve,
como viver tal paixão
algo que não se resolve?...

(Cir. 19.06.11)

 

 

MISTÉRIO

Isabel Passos

Mistério maior é o Amor
e a prova está na Obra do Criador.
Foi com Amor que Ele construiu o Universo,
criou o Ser Humano, Sua predileção,
que muitas vezes Lhe retribui com ingratidão;
A Natureza de sublime perfeição e imponente beleza.
O Amor é um mistério que, até hoje,
pintores, poetas, escritores,
todos tentaram sua definição.
Mas na realidade ainda ninguém soube explicar,
porque é um mistério guardado no coração.
O Amor é, da alma, refrigério;
Muitas vezes também faz sofrer. Mistério?

 

 

Doce Mistério

Maria Olga de Oliveira Lima

Teu olhar todo carinho, atenção...
A olhar no meu olhar
É tudo de Bom
E de Melhor!!
Contemplar teu semblante
Inspirando-me... Paz...
É não desejar... nada mais!...
Apenas permitir a vida fluir...
Os dias correrem!...
Teu olhar penetrante
Querendo adivinhar
Até meus pensamentos
Traz todo o mistério
De homem apaixonado
Querendo tanto quanto eu
Ser apenas Feliz.
Por isso quando estou contigo
Entro de cabeça nesse clima,
Sem medo de NADA!
E como mulher apaixonada
Viajamos por céus, nuvens
Lugares desconhecidos...
Nossa felicidade
Acontece no doce mistério
Do Amar!!...

 

 

MISTÉRIO

O mistério...
Esconde-se na noite
Esconde-se nos pingos da chuva
E no vento que açoita
E tudo verga
Nas folhas que rolam
No temporal que assola...
Naquele que pede esmola
Quem consegue decifrar
O que vai pelo ar
O que leva a onda do mar
E o balanço do seu caminhar
Ah... O mistério no âmago do Ser
Na lágrima que rola
No amor que não se implora
Desvendar o teu mistério
Quisera ter o poder...

Marinez Stringheta/Mara poeta
Botucatu/SP – 23/06/2011
03h05min

 

 

MISTÉRIO

É ter vivido meio século de vida e,
só depois deste tempo,
ir descobrindo o quanto eu ainda
tenho que aprender...
O tempo urge e,
o mistério da vida e viver,
parece que não muda,
se perpetua...

Naidaterra

 

 

"MISTÉRIO"

Nara Pamplona

Um certo mistério envolveu nosso encontro
No olhar cativante que abraçou meu corpo inteiro
No toque delicado das mãos, apalpando, descobrindo
Na suavidade das palavras sussuradas à meia-luz...
Na explosão do amor repentina, mas desejada
No momentos plenos da comunhão de anseios
No elo inquebrantável que uniu nossas almas
Da unicidade de objetivos, de metas a atingir...
Doce mistério que enriqueceu meu viver
Lançando um tapete de rosas rubras, vicejantes
No caminho almejado, percorrido, e já vivenciado
Múltiplas vezes em outras esferas do infinito!

Rio de Janeiro, 26/06/2011

 

 

O MISTÉRIO DE VOCÊ

Eri Paiva

É tão forte, tão intenso!
Querendo ou sem querer,
Sempre e a todo momento,
Povoas meu pensamento...
Por que? Queria saber!

Pergunto ao céu, às estrelas,
Ao sol no seu belo nascer,
Ao meu anjo, tão amigo,
O que você fez comigo
Para tanto eu lhe querer?

Pergunto à suave brisa
Em seu tão doce silêncio,
Pergunto à nuvem que passa
E à saudade que abraça
A minh’alma em tormento...

Pergunto e resposta e não há!
Venha, meu amor, me dizer!
No seu terno e profundo abraço
Conseguirei desvendar, em mim,
O Mistério de Você!

Natal/RN – em 26. 06. 2011

 

 

Mistério

Giovânia Correia

Um doce mistério envolve teu ser.
Sinto todo o meu corpo o absorver.
Fique sempre bem aqui, juntinho.
Não consigo mais de você me afastar.
Preciso todo o meu afeto te entregar.
Vou começar com um doce beijinho.
Ah...mistério infindo e fugaz.
Só você me satisfaz.

 

 

Edição Mara Pontes©

 

.~.~.VOLTAR.~.~.