Participantes

 

01 - Ilze Soares
02 - Antonio Barroso (Tiago)
03 - Gldina Roriz (Magy)
04 - Tarcísio R. Costa
05 - Zenaide Giovinazzo
06 - Marcial Salaverry
07 - Duda Gragnani
08 - Helena Luna
09 - Sandra Galante
10 - Cida Micossi
11 - Cássia Vicente
12 - Marlene Vieira Aragão
13 - Luiz Gonzaga Bezerra
14 - Nicola Araujo
15 - Naidaterra
16 - Eduardo Samuel Ferreira
17 - Magaly Zingaro (Maga)
18 - Regina Silveira
19 - Clara da Costa
20 - Vera Hernandez
21 - Humberto - Poeta
22 - Eri Paiva
23 - Eugenio de Sá
24 - Isabel Passos
25 - Luiz Gonzaga Bezerra
26 - Ilze Soares

 

 

 

Quantas?...

Ilze Soares

Quantas poesias ainda devemos escrever,
antes que o mundo consiga entender
que é de paz que precisamos para viver?

Quantos rios ainda precisam morrer,
florestas serem devastadas, o ar se poluir,
antes que o homem possa perceber
que é seu próprio lar que está a destruir?

Quantas crianças precisam fome passar,
sem instrução, sem saude, sem lar,
antes que nossos dirigentes cumpram
todas as promessas que há anos juram?

Ah, meu Deus, até quando vamos sobreviver,
sem respeito pelo próximo, pelo planeta...
É...Estamos pagando pra ver!

 

 


Quantas?

Quantas vezes eu te disse que te amava?
Quantas vezes te abracei com amizade?
Quantas vezes te beijei com emoção?
E quando, amor, assim eu te falava,
supunhas que eu te faltava à verdade,
que te falava sem ser pelo coração.
Quantas vezes te jurei o meu amor?
Quantas vezes afaguei o teu cabelo?
Quantas vezes o teu tom era só manga?
E quando tu me mostravas mau humor
e me lançavas palavras de atropelo,
para poderes sustentar confusa zanga!
Quantas vezes te pedi para pensares?
Quantas vezes supliquei alguma paz?
Quantas vezes eu roguei compreensão?
Tu, sempre, sempre a me desprezares,
enchendo de desprezo o meu cabaz,
que já se vai vazando pelo chão.
Quantas vezes? Diz-me, quantas?
Quantas vezes, na forma, tão iguais?
Essas vezes, que foram tantas, tantas,
já não serão, agora, mais!...

António Barroso (Tiago)

 

 

Quantas?

Quantas vezes o meu amor
vais por à prova?
Quantas vezes te direi,
que minha alma se renova
com teus beijos, teus abraços,
com tua presença carinhosa ?
Preserva nossos laços!
Amas-me, eu sei...
Mas teu ciúme
machuca meu coração,
destróe nossa relação.

Gildina Roriz

 

 

QUANTAS?

Quantas vezes precisa o poeta
Lançar, em versos, seu lamento!
Quantas é necessário ao esteta
Desenhar o rosto de sofrimento!

Quantas a imprensa revela
A essas chamadas autoridades
A fome e a violência das favelas
E eles dão as costas às realidades.

Quantas vezes surgem novas tragédias
E nada se resolve!

Tarcísio Ribeiro Costa

 

 

QUANTAS...

Zenaide Giovinazzo

Quantos beijos loucos,
carinhos, afagos...
Quantas vezes, amamo-nos,
com volúpia e amor...
E por tão pouco,
surgiu o desentendimento,
e o sonho, como fumaça,
rapidamente acabou!

SP/27/09/09

 

 

QUANTAS VEZES NÃO GOSTEI DO QUE ESCREVI

Marcial Salaverry

Não gostei do que escrevi, falando da guerra,
pois o mundo cada vez mais se enterra
nessa prova da imbecilidade humana...
Outras coisas a contragosto escrevi...
Poemas escrevi falando de crimes contra a Natureza,
que a cada instante tira do mundo sua beleza...
Poemas escrevi, vícios combatendo,
vícios que a todos vem abatendo...
Poemas escrevi falando de como o ser humano
cada vez mais deixa de ser humano,
quando põe a nu sua necessidade
de praticar a maldade...
Poemas escrevi, criticando a poluição dos mares...
Poemas escrevi, procurando chamar à razão
aqueles cuja principal ação
é provocar desentendimentos nesta Internet
já cheia de problemas...
Nada disso gostei de ter escrito,
pois se o fiz, se tudo isso foi dito,
é porque existe muita maldade e incoerencia no mundo,
levando tudo para o fundo...
Não gostaria de ter escrito tais poemas
mostrando todos esses problemas...
Mas algo precisava ser feito,
para tentar corrigir esse defeito...
Mas... não gostaria de ter escrito...
E quantas vezes escrevi...
Em vão, talvez, pois é a incompreensão
que domina da humanidade o coração...

 

 

Quantas peles?

Pele nua,
Tua que excita,
Pele nua,
Língua inunda,
Pele nua,
Textura que flutua,
Pele nua,
Doce criatura,
Pele nua,
Sol que sua,
Pele nua,
Brilha a lua,
Pele nua,
Amor atua.

Duda Gragnani

 

 

PERSISTÊNCIA

Já nem sei por quantas vezes
repeti que eu te amo,
clamo, reclamo, proclamo.

Demonstrações de carinho
tu recebes o tempo inteiro:
vai janeiro, vem janeiro...

Te digo, insisto, persisto:
eu te amo, não desisto!

Helena Luna

 

 

Quantas?..

Sandra Galante.

Quantas vezes sinto este frio,
Esta solidão que vem pra ficar,
Com esta dor imensurável neste vazio,
As lágrimas caem por este meu amar...


Inúmeras vezes tentei te esquecer,
Mas não consigo ,vou ao teu encontro!
Este amor louco que nao quer entender
Te quer, vai sempre para um novo reencontro...

Mesmo nas noites mais tristes enquanto dormes,
Sonho com os nossos momentos, e te quero...
Ah! quantas dores!
Mas não me desespero,pois sabes que te espero.

 

 

Quantas?

Cida Micossi

Quantas noites de tristeza eu chorei?
Quantas vezes teus carinhos implorei?
Quanto tempo em solidão me encontrei?

Quanto eu quis, por momentos, seus abraços...
Quanto sofrimento a me trazer embaraço...

O coração aprendeu , desistiu,
E a luz no fim do túnel ele viu:
Hoje, alma cicatrizada e feliz
Olho para a frente, a experiência me diz:
- Olhe o mundo, que grandeza
Vai viver essa beleza
Em paz com a Natureza!

 

 

Quantas?

Cássia Vicente

Quantas orações terei que fazer?
quantas penitências?
quantas promessas?
Quantas noites terei que esmagar?
quantas palavras ?
quantas necessidades?
Quantas vezes mais teria que negar?
me negar?
te negar?
Quantas?

 

 

Quantas?...

Quantas lágrimas silenciosas
Falas tantas, ciosas, caladas;
Visões, quantas! Meticulosas!
Nada abafou as chicotadas...

Quantas tardes esfomeadas,
E noites tão enlameadas!...

Quantas esperas sem regresso
Todas tão bem engaioladas!...
Foram tantas que não esqueço.

Mesmo assim ainda vou dizer
Qu’existe um novo amanhecer.

Marlene Vieira Aragão

 

 

QUANTAS!

Quanta alegria ao declarar que te amo
Quantas palavras ficaram em tua alma
Quantas saudades dos beijos vibrantes
Ainda vivos comigo guardados
Bailando no lusco fusco dos anos.
Quão é o amor em seus entrechos
Falando de tudo com carinho
Exprimindo candura renovando o desejo
De aureolar teus sonhos e teus caminhos.
Quanta alegria em viver cada amanhecer
De sentir o vento acariciando-te a face
De poder admirar ri abraçar com prazer
A vida que bate no peito com suavidade
De amar com vibrações e loucura
De viver esse amor divino e mágico
Na fluorescência grácil dos seus braços.

LUIZ GONZAGA BEZERRA

 

 

*QUANTAS?*..

Noites dormi no colo da lua
Esperando por você
Quantas vezes
Vaguei por entre as estrelas
Infinitas e languidas
Na esperança de te ver
Andei pelos labirintos da minh’alma
Coberto por bolhas de solidão
Andei em vão
Meus olhos por lá
Não te encontraram não
Triste se fechou meu coração
Ancorado nos badalares do sino centenário
De uma existência vã
Minha face então se despiu da esperança
De encontrar-te meu amor pagão
E neste céu sem porta
Para eternizar te meu amor
Bordarei seu rosto no firmamento
Com as areias finas da dor

Nicola Araujo

 

 

QUANTAS...

Quantas e tantas foram
as vezes que falamos
do nosso amor...
Vacilamos...
Agora somos poeiras
ao vento sem rumo a mercê
das tempestades...
Perdidos num deserto incerto,
procuramos acertar
um caminho onde reine a paz,
só assim quem sabe
vamos aprender a nos
ouvir...

NAIDATERRA

 

 

QUANTAS?

Eduardo Samuel Ferreira

Quantas vezes pedi a Deus
e com abundância Ele me atendeu.
Tudo o que eu queria na vida
era exatamente esse amor seu.

Quantas pessoas passaram por mim
sem deixar nenhuma recordação.
Mas você ocupou a minha mente e alma, não
tem espaço pra mais ninguém nesse novo coração.

Pensei que já tinha visto de tudo
no mundo do amor e sedução.
Com o seu jeito calado,
jogou a minha teoria ao chão.

Quantas vezes vou agradecer a Deus por ter
te encontrado, ainda não sei!
Mas quero que saiba de uma verdade,
sou muito feliz ao seu lado.
Quantas vezes ficamos exaustos no amor?
Já nem sei porque parei de contar.
Só sei que o seu jeito exclusivo
faz tudo recomeçar.

 

 

Quantas

Só você não percebe!
O quanto te amo,
quantas vezes for,direi te amo.
Irei repetir sempre quem sabe
um dia você vai me notar...

Quantas noites mal dormida,
com pensamentos em você,
te querendo te esperando,
você aparecer...

Já orei, já pedi,
se um dia você vir,
estarei sempre aqui.

Magaly Zingaro
(Maga)

 

 

Quantas?

Regina Silveira

Quantas vezes ainda vou chorar
De saudades de você
Quantas vezes vou escrever um poema
Pra você
Dizer que meu amor é perene,
Incondicional, absoluto
Quantas vezes tentei ajudar-te
Sem conseguir
Mas tentei
Quantas vezes procuro-te e
Não mais te encontro
Digo ao céu cadê você
Onde está quem eu não
Mais encontro?
Em qual estrela foi morar
Quem não pode mais voltar?
Quantas vezes em vão te chamo
Quantas vezes...
Quantas!

Uberaba /MG
06/02/10

 

 

QUANTAS?

Clara da Costa

Quantas noites apaixonadas,
no silêncio das madrugadas
claras como a luz do luar
de amor entrelaçadas!

Quantas juras,
no aconhego do teu abraço,
tão confortante, tão acolhedor,
dissipando nossa saudade!

Quantas maneiras
falamos de amor,
desse amor que nem a distância
consegue afastar?

Quantas vezes,
sem nunca cansar,
vou dizer:
-Eu te amo!

 

 

Quantas!

Vera Hernandez
( GAMINE )

Quantas e quantas vezes te pedi...
Não faças...
Não sejas agressivo comigo...
Não me digas coisas que não gostarias
de ouvir de mim também...
Mas...
Você fez!
Você agrediu!
Você não entendeu!
Você não compreendeu!
Você nunca tentou entender!
Apenas magoava!
Apenas sabia ser o maioral!
O grande homem!
O poderoso, o importante, o que tudo
sabia e o que tudo mantinha!
Hoje, não é mais assim...
Hoje, cansei....
Cansei do onipotente...
Cansei de você....
Das suas chantagens...
Da sua maneira de querer ser
aquilo que realmente não é.
Você acabou comigo, com
toda certeza.
Mas...
Eu acabei com você!
Acabei com aquele amor louco
que fazia sofrer a alma e o coração.
Hoje sei...
Que sou importante...
Que sei o que quero...
E o que menos quero é
ter você ao meu lado me castrando de tudo.
Disse adeus a você!
Disse adeus ao passado!
Se sou feliz, não interessa.
Mas...
Hoje, sou mais eu...
Mais resolvida....
Mais absoluta...
Mais dona do meu coração...
Das minhas vontades....
Dos meus direitos, coerentes ou não!
Essas minhas perguntas de quantas vezes...
São minha mais total e feliz loucura!

PS: Eu me amo.

 

 

QUANTAS SÃO?

Humberto - Poeta

Me acusas de flertar uma,
e outra mais, e mais alguma,
como se eu fosse um sultão!
Puras, devassas ou santas,
que eu até já nem sei quantas,
mas se amasse assim a tantas,
morreria de inanição!

Uma simples dedução
prova que não tens razão,
nem mesmo me dando um flagra.
Pra que eu fosse assim potente
com tanta garota quente,
teria que andar, diariamente,
encharcado de Viagra!

Presa a suspeitas doentias,
nem ao menos desconfias
que vais me deixar maluco!
Findemos tudo entre os dois,
de mim desgruda! E depois
arruma algum outro, pois,
não tenho queda pra eunuco!

 

 

QUANTAS

Eri Paiva

Quantas vezes te amo, eu falei
E em quantas poesias isto escrevi!
Quantas vezes tua presença eu senti
E sem ver-te quantas vezes eu te amei!

Quantas canções eu fiz e te dediquei
E quantas canções de amor prá ti cantei!
Quantas vezes compondo ou cantando
O meu grande amor eu te declarei!

Quantas vezes, este imenso amor
Eu te disse ser exclusivamente teu!
Quantas vezes eu disse, oh! Meu Deus!
Mas ele... ele não acreditou!

Em 07. 02. 2010

 

 

Às quantas

Eugénio de Sá

Ocupado a desfazer o que preparas
no complicado afã em que te aténs
enciumada, louca, nem reparas
que aquela que ora entrou é tua mãe!

E como sempre cá está o palerma
a largar tudo o mais para atender
antipatias, ditos de caserna
dessa megera que ninguéma a quer

Eu sopro, eu bufo mas ara, eu acato
as baboseiras da tua mãezinha
A quem não vejo a hora do último acto

Às quantas, pra maior tristeza minha
ela engasgou-se e cospe o guardanapo
soltando o ralo da pia da cozinha

 

 

QUANTAS?...

Isabel Passos

A inspiração sumiu!...
Talvez tenha adormecido
num cantinho da alma...

Não quero acreditar que fugiu!...
Que tenha desaparecido!...
Quantas vezes me deu paz e calma...

Quando escrevia o que sentia o coração...

Quantas noites ainda, vou sentir a solidão?...
Quantas?...

 

 

QUANTAS...

Quanta lagrima teremos que derramar
Quantas florestas irão cair e morrer
Nas mãos dos homens sem almas
Que podam a vida na ganância do poder...
Morrem os rios poluídos pelos gases
Pelo lixo tóxico das empresas
Pelo o prazer do homem gozar
Dos bens sem respeitar a natureza...

Luiz Gonzaga Bezerra

 

 


Quantas vezes ...

Ilze Soares

Quantas vezes, de repente,
me sinto só e carente,
busco voce em minha mente!

Quantas vezes, à sombra do pensamento,
revejo cenas, ouço palavras sussurradas
reavivando esse enorme sentimento!

São tantas as vezes que procuro voce
em minhas madrugadas frias,
sentido solidão na cama vazia!...

Sei que muitas vezes mais o buscarei
nos quadros pendurados nas paredes da memória...
E sei, tambem, que nunca mais o terei!...

 

 

 

Arte Vera Jarude

Adaptado por Mara Pontes©

 

.~.~.VOLTAR.~.~.