PARTICIPANTES

 

01 - Ilze Soares
02 - Armando Sousa
03 - Lucio Reis
04 - Luiz Gonzaga
05 - Cássia Vicente
06 - Ruth Sivieri
07 - Magaly Zingaro
08 - Marcial Salaverry
09 - Graça Ribeiro
10 - Antonio Barroso (Tiago)
11 - Naidaterra
12 - Vera Hernandez
13 - Dilma Suero
14 - Roze Alves
15 - Humberto - Poeta
16 - Nicola Araujo
17 - Isabel Passos
18 - Cida Micossi
19 - Mifori
20 - Clara da Costa

 

 

 

Voce lembra?

Das nossas tardes indolentes,
deitados na rede, num "doce far niente"
admirando o espetáculo do por do sol?

sim, amor estavas sempre no meu pensar
escrevias e ficavas no sonhar
descias a cadeira comprida cheia de calor
de todos os lados ficando horas a fazer amor

Das noites lindas, estreladas,
quando passeávamos pela calçada,
conversando, de mãos dadas?

olhavamos as estrelas viamos aviões passar
cheiravamos as flores ao as regar
davamos as mãos, colavamos os lábios
de volta.. era um novo recomeçar

Mesmo que eu voltasse o relógio do tempo,
dentro do seu peito não restou mais nada...
Lembre - se: eu continuo apaixonada!

estas enganada, resta ainda essa paixão
de uma grande amizade, de loucura,
estas sempre em meu coração
comigo entraras na minha sepultura

Ilze Soares//Armando Sousa

 

 

Lembro!

Lucio Reis

Das rodas de cadeiras nas calçadas
Em francas conversas despreocupadas
Dos assuntos ocorridos durante o dia
Novelas na TV ainda não havia

Eram amizades da vizinhança
Até as 22 horas a dialogar
Não precisava de policial e nem segurança
Nenhum delinquente menor ou adulto vinha assaltar

E todas as noites o mesmo se repetia
As liberdades foram sendo confundidas
O respeito as autoridades foram sendo apagadas
Hoje as famílias ficam presas de noite e de dia

Por isso cumprimentar ao amanhecer
É mais uma vitória da vida ao alvorecer
Rezando para o dia passar, a noite chegar
Agradecer a Deus, por mais um dia em fevoroso orar.

 

 

VOCÊ LEMBRA?

Dos nossos beijos ardentes
Na sala quentinha e enfeitada
Dos murmúrios eloqüentes
Dos carinhos apaixonados.
Das noites de céu estrelado
Da praça onde sempre abraçado
Traçávamos juras de amor e felicidade
Admirando as flores perfumadas.
Pena! Tudo se foi minha amada.
Ainda te amo e vou sempre te amar
Hoje, amanhã e na eternidade...

Luiz Gonzaga Bezerra

 

 

Você lembra?

Das nossas tardes no seu apartamento?
quanto nos amávamos sem pensar em mais nada,
quantas vezes planejávamos ser para a vida inteira...

Das noites de despedida na calçada?
quanto nos amávamos sem pensar em mais nada,
quantas vezes pensávamos ser para a vida inteira...

Mesmo que eu voltasse o relógio do tempo,
aqueles momentos não teriam o mesmo encanto,
aquelas promessas caíram no vácuo do tempo...

Cássia Vicente

 

 

DANDO ASAS À IMAGINAÇÃO

(Ruth Gentil Sivieri)

Você se lembra de uma casa bem antiga,
Com rede na varanda e aquela cantiga,
Fazendo rima alegre com os passarinhos,
Que invejavam os nossos doces carinhos?

Suas delicadas mãos o meu rosto desenhava,
O murmúrio do riacho esse contorno acompanhava
Assim, nós dois, naquele embalo sem fadiga,
E eu, feliz, por ter a sua doce mão amiga.

Seu pensamento voava longe, assim você dizia,
Imaginando como eu era antes e o que fazia.
Que importa isso agora se ficou na lembrança
Se a recordação na imaginação descansa?

Guarde o meu retrato se ainda o tem, pois
Esse nunca dei e não darei a ninguém.
E quando a saudade bater mais forte,
Olhe bem e tomara que ele o conforte.


http://www.ruthgentilsivieri.prosaeverso.net

 

 

Voce lembra?

(Magaly Zingaro)
(Maga)

Será que ainda pensa em mim,
não dá nenhum sinal,
e-mails, cartas e fotos,
nada mais recebo de ti...
Escrevo e não tenho resposta,
procuro você ansiosamente
por todos os cantos,
que um dia estive com você.
Será que tudo o que existiu
entre nós nada ficou?
Deixou marcas profundas,
está sempre em meu pensamento.
Venho hoje pedir,
aonde estiver não esqueça de mim...

 

 

LEMBRANÇAS DE UM AMOR ARDENTE

Marcial Salaverry

Paixão inusitada, uma lembrança ardente,
por alguém especial que apareceu subitamente...
Entrou na vida, mansamente, com um jeito meloso...
Foi um romance tórrido... prazeroso...
Agora, nestes dias que vamos passando,
tão gostosamente lembrando
os prazeres incessantemente vividos...
Aventura de amor... lembrança gostosa
Do calor de uma fugaz paixão,
momento vivido com muito tesão...
Ou apenas uma atração misteriosa,
uma aventura fugaz, mas deliciosa...
Foram dias vividos longamente,
numa paixão com um tesão ardente,
mas também muito ternamente,
carinhosa e apaixonadamente...
Talvez um dia, apenas lembranças que ficarão,
marcadas para sempre em nossa recordação...
Enriquecendo a existência, pela fantasia vivida...
Uma experiência a recordar para o resto da vida...
Lembranças de um amor ardente...
Algo que deixa uma marca permanente...

 

 


Claro que me lembro

Graça Ribeiro

Claro que me lembro e nunca esqueceria
ternura dos momentos vividos no tempo
naquele lugar que de nós falava e dizia
Ladeira que subíamos vestindo fantasia
eu adorava a flor que você me ofertava
e, amorosamente, em meu cabelo prendia
Nossos tímidos beijos sob a luz das estrelas
os banhos de cachoeira, os corpos molhados,
nossas bocas úmidas impregnadas de desejo
Claro que me lembro de tudo isto e muito mais
São os fios de carinho tecidos com a inocência
daqueles bons tempos que não voltam jamais
A vida levou uma parte do que fomos um dia
entretanto ternas lembranças nos falam agora
com a delicadeza das linhas tecidas em poesia.

 

 

Relembro

Antonio Barroso (Tiago)

Relembro aquele tempo, com saudade,
quando a ramagem cobria nossos abraços,
e o sol brincava por entre a folhagem,
lançando pequenos raios de claridade.
Por vezes, ouviam-se sumidos passos
que nos faziam ficar tensos, hesitantes,
só nos lembrávamos, depois deles passados,
que deveriam se apenas dois namorados
procurando esse refúgio dos amantes.
Então, nossas bocas se uniam, de repente,
nossas mãos percorriam o corpo quente
com a voluptuosidade dum enorme desejo.
Relembro aqueles passeios, ao sol pôr,
quando ambos trocávamos juras de amor
que selávamos, depois, num eterno beijo
e, ao pararmos, aquelas trocas de olhares
que, parecendo não ser nada, diziam tudo.
Os suspiros que se lançavam pelos ares,
eram canções animando um filme mudo,
baladas de sentimentos feitos versos,
quimeras, fantasias, sonhos dispersos.

O pensamento
corre, à solta,
e eu só relembro
esse momento
que já não volta.

 

 

VOCÊ LEMBRA?

Naidaterra

Foi em Interlagos...
Uma noite quente... novembro...
A lua clareando o lago,
tua mão quase tocando a minha
e você me olhando nos olhos,
perguntou, - posso te beijar?
Eu nada disse, meu silêncio
pra você foi um sim...
O melhor sim da minha
vida... lembra???

 

 

VOCÊ LEMBRA, AMOR?

Vera Hernandez

( GAMINE )

Você lembra, meu amor?
De nossos momentos vividos?
De nossos momentos de intimidade?
De estarmos grudados um no outro?
De sonharmos com loucuras no nosso amor?
De ficarmos de mãos dadas horas e horas?
De olharmos dentro dos nossos olhos e ver nossas imagens neles refletidas?
De como você me dizia estar me amando?
Onde anda você, MINHA VIDA MUITA AMADA?
Por que nada mais fala?
Por que calou?
Por que não diz que me ama?
Você entristeceu...
Não é mais o mesmo.
Cala-se em um canto e fica a pensar sobre a vida.
Por que, VIDA?
Volte!
Ame!
Seja Feliz Novamente!
Sorria!
Diga!
Brinque comigo!
Brigue comigo!
Diga que não sou mais seu amor!
Diga que está muito triste!
Diga que não consegue falar!
Coloque pra fora!
Diga sem medos e sem rodeios!
Fale...Mas fale de mim!
Diga que me odeia.
Diga que não me quer mais.
Que eu te fiz sofrer por provocar
esse sentimento tão lindo que existe entre nós.
Me odeie...
Mas diga...
Que te fiz sofrer...
Que de onde eu estiver juro que calarei.
Mas nunca se esqueça
que eu não consigo apagar você da minha vida.
Por favor, MEU AMOR...
Não se esqueça de mim!
Esse...
Você lembra, amor?
Esse não esqueça de mim...
São minhas mais sofridas loucuras!

PS: EU TE AMO

 

 

Você Lembra?

(Dilma Suero)

Você lembra
tua infância?
dos bons tempos de criança
das brincadeiras de rua?
Êta tempinho bom
só pureza e inocência,
obediência e prudência.
Pular corda , correrias
pique-esconde... as bonecas.
Éramos tão sapecas,
mas livres para voar
nos sonhos puros da idade,
aguardando a mocidade,
com ânsia e felicidade.
Você lembra? Eu me lembro...
e que saudade danada!

 

 

Você Lembra?

Roze Alves

Quantas vezes, deitados na relva
Procurando estrelas cadentes
Olhos brilhantes, tranças, topete
Prometíamos estar sempre juntos
Que conheceríamos outros mundos
Cavalos alados nos levariam a voar
Tão bons os sonhos juvenis
Nenhuma maldade, só espontaneidade
Que pena que crescemos, esquecemos
Hoje, minha estrela cadente
Está presa naquela foto que tiramos
Ah! Saudade dela, livre a nos indicar caminhos
A mesma saudade que sinto de você outra vez

Amanhecer-M
RJ: 17/01/2010

 

 

Eu lembro...

Humberto - Poeta.

Nem o tempo leva embora
aquela paixão de outrora,
nascida ao sol de um setembro...
Deixou-me imagem tão viva
dentro d'alma sensitiva,
que ainda choro quando a lembro!

 

 

VOCE LEMBRA?

Do primeiro olhar
Trocado em meio a multidão
Dos gestos vagos
Do sorriso tímido
Que tremulava
A curva dos lábios...
Lembra da boca
Entreaberta
Que sofregamente
Degustava o ar perfumado
Daquele lugar...
Navegavam soltas então as sensações
Que transitavam livres pela emoção
Naquele universo lúdico
Entre o real e o imaginário
Que hoje brilham
Solitárias
Feito estrelas pagas
Sem você

Nicola Araujo

 

 

LEMBRAS-TE...

De nosso namorar
Ainda jovens adolescentes
Na época, crianças inocentes
De juntos aprendermos a beijar?


Eram doces beijinhos
Temperados com carinhos
Muitos arrufos enciumados
Longos anos namorados

O dia do casório tanto tempo esperado
Eu, vestida de branco, flor de laranjeira
Tu, bonitão, ar de pessoa alegre e faceira

Uma vida de alegrias graças a dois amores
(Em nossos corações eternos louvores)
Ensombrada perfídia, levou o amor, restou amizade! (Estás perdoado!)

Isabel Passos

 

 

Você se lembra?

Das brincadeiras na rua, na infância
Das histórias de assombração
Reuniões de família, doce lembrança.

Do Salto do Pântano, beleza natural
No coreto no Jardim Velho era legal
Realizar festas juninas: divertir-se afinal.

Você se lembra?
Do espaço embaixo da escada no Grupo Escolar
Da sala da professora a arrumar
E do mata-borrão o caderno a secar.

Dos bailes no clube, com longos vestidos
Tais finais de semana já são tempos idos.
Boas recordações no cérebro a morar.

A ingênua menina hoje madura senhora
Inda exerce a profissão de professora
Que na mais tenra idade aprendeu a respeitar.

Cida Micossi
Santos,21/01/2010

 

 

VOCE LEMBRA?

Mifori

Foi na primavera
que nos conhecemos,
sentindo o perfume
que se espalhava pelo ar.
Diante de um ipê florido
nos esbarramos,
admirando suas flores,
e amigos nos tornamos.
Durante os anos
de nossa juventude,
ali nos encontramos,
a amizade renovando
e os laços de união...
Fortalecendo!...
Num determinado ano,
resolvemos,
tomar uma atitude:
- namorar!...
Difícil foi a separação.
No ano seguinte, casamos,
partindo para a construção
do nosso lar...
Nunca mais voltamos,
àquele lugar!
O nosso ipê amarelo
Já não pode mais florir!
Deixou de existir.

(SP: 19/01/10)

 

 

VOCE LEMBRA?

Daquela manhã ensolarada
quando nossos olhos se encontraram,
e fiquei apaixonada
por teus olhos que me encantaram.

Daquelas noites onde o silêncio
cantava canções de amor,
que embalavam nossos corpos
enlaçados de calor.

Lembra das juras de amor
frente ao mar salpicado pela lua
com nossas mãos entrelaçadas de amor.

Você lembra?

Hoje
o teu silêncio canta uma canção,
que abraço na minha solidão.

Clara da Costa
Praia de Pipa/RN

 

 

Edição Mara Pontes©

 

.~.~.VOLTAR.~.~.