Praias Desertas
Ilze Soares
 
 
 
Gosto de praias desertas, onde possa passear livremente, sentindo a areia macia sob os pés...
 
Onde solto a imaginação, jogo fora preocupação e converso com o mar...
 
Gosto de praias desertas, onde possa descobrir cada tesouro ou mistério, sem nada para atrapalhar...
 
Há quem goste de praias lotadas, de todo aquele burburinho...De apreciar corpos semi nus estirados na areia, ouvindo os ambulantes oferecerem seus produtos, num eterno gritar...
 
Eu gosto das praias desertas, todinha pra nós dois e mais ninguem!
************
Praia deserta
 
Teu corpo já não está estendido, ao sol,
com as massagens de calor
que aquecem o pensamento.
Aquele lençol
de banho em que te envolvias,
subia de valor
quando batido pelo vento
em tantos, tantos dias.
A areia escorre-me pelos dedos
como se milhares de segredos
se quisessem revelar,
uns abandonados
por dezenas de corpos molhados,
outros, beijados pelas ondas do mar
que se espalham, devagarinho,
e vão murmurando, baixinho:
- Minha praia, minha areia,
foi em vós que imaginei
fazer um abrigo seguro para a sereia
que, no mar alto, encontrei.
As gaivotas volteiam pelos ares
ou pousam na margem
das ondas com os vagares
do sonho, da ilusão,
ou como simples miragem.
Meio adormecido,
quando minha alma desperta
daquela viagem sem nexo,
fico surpreendido,
boquiaberto, perplexo
e tão admirado,
que olho para todo o lado...
...e a praia está deserta!...
 
António Barroso (Tiago)
*******************

 
 

 
 
 
 
 .~.~.VOLTAR.~.~.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
STATUS LM 1011