Manhãs de Setembro

(Ilze Soares)

Outono/primavera

(Réplica: Fernando Reis Costa)
Tardes de Outono

(Tréplica: António Barroso - Tiago)


***

 

Nas quentes manhãs de setembro,

em Portugal frias, como já nem lembro
mas das tardes mornas eu quero ser membro

iluminadas pelo imenso sol tropical,

no Brasil, primaveril, aqui outonal...
se forem p'ra o quentinho não faz mal

quero galopar na garupa do vento,

mas o vento, não!... Eu não aguento
cavalgar, sim, mas num bom assento

deixando livre o pensamento...

Antes primavera do que este tempo!
e, então, com uma mulher, não me lamento...

 

 

Quero subir morros, percorrer os vales,

(o outono é triste e traz alguns males!)
deixa passar o tempo e não te rales

navegar nas ondas do oceano,

pois a mim quem dera o próximo ano…
mas dentro dum iate bem bacano,

me refrescar nas águas límpidas do regato...

agora, tão frias, eu sou como um gato!...
e eu prefiro o duche que é mais barato.

 

 

Quero acariciar as pétalas macias dos flores,

e eu quero ir pra onde tu fores
eu fico. Tenho medo de aviões, são uns horrores.

embaralhar o cabelo dos meus amores,

mas aqui, com frio, eu sinto tremores
se forem bem lavados... com odores...

voar livre pelas florestas...

(Olha lá os leões que não são pra festas!
muito cuidado com os ramos nas testas...

 

 

Ao findar o passeio, me diluir nos braços de quem

(pena não ser eu esse “outro alguém”)
aí é que está o busilis porque, me convém

espera pacientemente por mim...

que estará escondido em algum jardim…
apanhar-te de surpresa, ser mau e ser ruim!

 

 

Coração repleto de paz e tranquilidade,

numa floresta? Talvez na cidade…
atrás duma mulher não há siceridade

pronta para viver nossa realidade.

Que coisa gostosa é a Ilze assim!...

(rsrs)
e ninguém resiste à minha mocidade...
Ah!Ah!Ah!

 

 

****

Ilze Soares
(versos cor marrom)

Fernando Reis Costa
(versos cor azul)

António Barroso (Tiago)
(versos cor vermelha)


Agradeço este presente lindo da Gildoka. Um beijo pra vc, amiga
 

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.