Meu Medo
 
Ilze Soares
 
A noite surge rapidamente,
pássaros saem em revoadas,
sombras caindo suavemente,
eu sozinha pelas calçadas...
 
A rua está deserta,
o medo surge...
Começo a ficar alerta,
pois o tempo urge.
 
Caminho desconfiada,
 coração batendo forte
não dou vacilada,
sinto o cheiro da morte!
 
No escuro não há lei,
a coragem desaparece.
Deste medo eu é que sei
faço convicta uma prece.
 
Sinto a mão do Pai na minha cabeça,
ja não tenho medo de nada.
Minha fé é grande à beça,
estou por Deus amparada.