VENDO A VIDA

Ilze Soares

Ao entardecer, sento-me à beira-mar e ponho-me a fitar o sol se pondo na linha do horizonte, no encontro da terra e o infinito, com seu colorido exuberante, inimitável, tingindo o ceu de todas as cores!
É um espetáculo que não me canso de ver e admirar.
Como deve ser triste não enxergar as maravilhas da natureza!
Admirar a flor singela nos campos, a orquidea exótica das matas, a beleza da revoada dos pássaros, o colorido dos flamingos nas lagoas...
Que tristeza não ver o rosto da pessoa amada, o brilho do olhar de felicidade, a lágrima de saudade...
Não conhecer o filho que nasce, seu rostinho, os dedinhos perfeitos, as dobrinhas da pele...
Nunca ver suas gracinhas, o primeiro sorriso dado, o primeiro dentinho...
Sentada à beira-mar, levanto os olhos para o ceu e elevo uma prece de agradecimento, por ter nascido perfeita, com todos os sentidos funcionando!
Mesmo distante de entes queridos que partiram antes de mim, ou que a vida separou, posso procurar seus rostos nos arquivos da memoria e matar as saudades de todos!
Obrigada, Senhor!


04 dez. 2007

 

 

 

.~.~.VOLTAR.~.~.