Menino de Rua

Ilze Soares

Descalço, pés queimando no chão,
Lá vai o menino de rua
Em busca de uns trocados para o pão.

Nas esquinas, faz malabarismos,
Recebe centenas de nãos,
Nenhum centavo cai em suas mãos.

Se voltar pra casa assim,
Sem ao menos um tostão,
É surra na certa, não tem perdão.

Onde fica seu direito de ir e vir,
Sua obrigação da escola frequentar,
Sem comer, sem brincar, sem sorrir?

Espero, um dia, que os nossos dirigentes
Prestem um pouco mais de atenção
Nestas pobres crianças de pés no chão.

Sem saúde, estudo ou segurança,
Disposição, fé ou esperança,
Elas também são o futuro da nação.

 

.~.~.VOLTAR.~.~.